Macron & Merkel, Lda.

António Emídio - Passeio pelo Côa - © Capeia Arraiana

Esta empresa renasceu das cinzas como a ave Fénix. Quem não se lembra de Sarkozy? Tudo eram rosas e beijos quando se encontrava com Merkel, os planos políticos deles eram assim tão convergentes? Nem pensar! E agora com Macron? Tudo se repetirá, porque a cooperação entre os dois países sempre foi dificil e complicada, também ambas Nações têm visões diferentes da Europa.

Macron & Merkel - António Emídio - Capeia Arraiana

Macron & Merkel, Lda.

Tanto a França como a Alemanha querem um papel hegemónico na Europa, mas a Alemanha neste momento tem uma posição dominante na União Europeia, e não a quer perder, começam a ser muitos os choques entre a Alemanha e o resto dos países que compõem a União Europeia, o último é por causa de um gasoduto russo que favorece os interesses alemães e não os dos países de Leste, as «colónias» alemãs como Hitler lhes chamava. Washington quer aplicar sanções às empresas que negoceiem com este gasoduto, a Alemanha reagiu muito mal… O que diz Macron sobre isto? Penso que nada. Querido leitor(a), vou repetir-me: os interesses das grandes nações estão por cima de qualquer União ou Tratado, e duas potências juntas,França e Alemanha guerrear-se-ão constantemente devido aos interesses económicos e políticos de cada uma. Porque abandonou a Inglaterra a União Europeia? Entre outras razões por não querer repartir os seus interesses com mais nenhum país europeu, e sabe bem como «trabalha» a Alemanha (no mau sentido). Os gazeteiros dizem que a França pode reconciliar a Europa do Sul com a do Norte, uma ferida aberta com a crise do Euro entre devedores e credores. Eu estou desconfiado que querem dividir a Europa em três partes «velocidades», sendo duas para a Alemanha, o Norte e o Leste, ficando a França com o Sul, logo veremos.

E para terminar querido leitor (a), uma simples pergunta: a quem interessa que a Alemanha tenha durante muito mais tempo uma posição dominante na Europa? Já nem aos Estados Unidos!!! Começam a temê-la.
:: ::
«Passeio pelo Côa», opinião de António Emídio

Deixar uma resposta