Torresmos

Manuel Leal Freire - © Capeia Arraiana

Manuel Leal Freire brinda-nos com uma vaga de poemas em louvor dos Santos de cada dia. Semanalmente, ao domingo, a poesia do bismulense de pena firme e de memória prodigiosa deslumbra-nos com a exortação aos valores maiores deste nosso recanto raiano.

Torresmos

TORRESMOS

De barba untada mas oca barriga
Assim o reza o velho rifão
Mas no caso é mera cantiga
Que os torresmos dão lauta refeição

Toda a família varrendo a intriga
Faz deste acto uma reunião
Que as banhas por mal que se diga
Dão contributo para um corpo são

Por isso derrete-las é uma festa
Em casa rica ou em casa modesta
Dentro de um mês depois da matança

Depois melhorarão todos os pratos
Assim devemos estar e muito gratos
Que o unto é garantia de abastança

:: ::
«Poetando», Manuel Leal Freire

Deixar uma resposta