Caldo de casulos

Manuel Leal Freire - © Capeia Arraiana

Manuel Leal Freire brinda-nos com uma vaga de poemas em louvor dos Santos de cada dia. Semanalmente, ao domingo, a poesia do bismulense de pena firme e de memória prodigiosa deslumbra-nos com a exortação aos valores maiores deste nosso recanto raiano.

Caldo de casulos

CALDO DE CASULOS

Estava de louvar o feijoal
E boa produção anunciava
Porém foi muito longo o estival
E na horta tudo se secava

O lavrador faz bem até do mal
E a penúria que já se anunciava
Criou um sabor quase real
E novo prato se idealizava

Assim nascia o caldo de casulos
Que nos deixa as papilas quase aos pulos
Ganhando foros de real iguaria

E por mais loas que lhe dediquemos
Ficamos sempre atrás do que devemos
Pois ele outras loas merecia

:: ::
«Poetando», Manuel Leal Freire

Deixar uma resposta