Cesarão

Manuel Leal Freire - © Capeia Arraiana

Manuel Leal Freire brinda-nos com uma vaga de poemas em louvor dos Santos de cada dia. Semanalmente, ao domingo, a poesia do bismulense de pena firme e de memória prodigiosa deslumbra-nos com a exortação aos valores maiores deste nosso recanto raiano.

O rio Cesarão em Vilar Maior

CESARÃO

Robalos, enguias, trutas
Entre as espécies piscatórias
Que marcam as rochas
De rio que tem as suas glórias

Pescarias de barbas enxutas
São verdade não história
Houve combates e lutas
Nas lusitanas vitórias

Cesareu ou Cesarão é aquele curso
De água que tem o ser percurso
Da Serra da Malcata até ao Côa

O nome ainda marca a história
De uma Lusitânia vitória
Que sobre vários anos ressoa

:: ::
«Poetando», Manuel Leal Freire

Deixar uma resposta