Maria Máxima Vaz – Prémio Beatriz Ângelo 2017

Brasão Município Odivelas - © Capeia Arraiana

A Professora Doutora, Maria Máxima Vaz, natural da Abitureira no concelho do Sabugal, foi agraciada com o prémio Beatriz Ângelo em cerimónia realizada no Centro de Exposições de Odivelas no passado dia 8 de Março, Dia Internacional da Mulher.

Maria Máxima Vaz - Prémio Beatriz Ângelo - Câmara Odivelas - Capeia Arraiana

Maria Máxima Vaz foi distinguida com o Prémio Beatriz Ângelo 2017 da Câmara Municipal de Odivelas
(Foto: Odivelas Notícias)

A Câmara Municipal de Odivelas atribui anualmente no Dia Internacional da Mulher, o prémio Carolina Beatriz Ângelo que distingue «mulheres e instituições que se destaquem em vários setores da sociedade, adoptem códigos ou sigam exemplos de boas práticas em matéria de promoção da igualdade de género, de prevenção ou de apoio da violência de género ou de apoio às vítimas».
Professora e Historiadora com diversas obras publicadas sobre a região saloia é uma referência no panorama cultural de Loures e Odivelas e, uma figura incontornável no que toca ao estudo e divulgação do património histórico e cultural da nossa região.
Defensora activa do património, Maria Máxima Vaz foi e é um exemplo para todos nós pela forma abnegada e desinteressada como ao longo dos tempos se dedicou a esta região saloia devendo-se a si muito do conhecimento documental que aliás tem sustentado as suas teses como por exemplo, a certeza que o Centro da Malaposta sempre foi um matadouro ou que o túmulo no Mosteiro para além do de Dom Dinis é de Dona Maria Afonso ou ainda os seus trabalhos e a sua intervenção sobre «O Círio dos Saloios».
Sem nunca ter tido o justo reconhecimento Municipal e tendo sido pelo contrário alvo de «omissão continuada», Maria Máxima Vaz mereceria consequentemente com este prémio ocupar um lugar de relevo que é de seu direito e porque não, ser nomeada Comissária Municipal para as áreas da História e do Património, lugar que estamos certos desempenharia com o valor e mestria que muito falta a outros.



A Professora Doutora Maria Máxima Vaz foi reconhecida com o Prémio Beatriz Ângelo 2017.

:: ::
No Sabugal alguns responsáveis políticos eleitos (Vereadores e Deputados da Assembleia Municipal) assumiram em tempos e… «surpreendentemente», não ter conhecimento do enorme curriculum e valor da Professora Doutora Maria Máxima Vaz. Talvez porque a Senhora Doutora nunca se lhes juntou a comer porco no espeto com arroz de feijão. Até porque o conhecimento cultural desses mesmos eleitos e vereadores nunca foi além das comezainas à borla.
Assim aqui fica reposta pela Câmara Municipal de Odivelas, a primeira do País em número de nascimentos, uma das maiores do país em número de eleitores e uma das maiores do país em número de cidadãos naturais de diferentes países, mais um grande reconhecimento depois de lhe ter atribuído o nome de uma Escola Primária e de uma Rua na cidade de Odivelas.

O Capeia Arraiana associa-se a esta (mais esta) distinção de tão ilustre personalidade, a Doutora Maria Máxima Vaz, deixando também aqui o seu reconhecimento pela excelência do seu trabalho como Mulher, como Investigadora e como Historiadora.
jcl (com Odivelas.Com)

5 Responses to Maria Máxima Vaz – Prémio Beatriz Ângelo 2017

  1. jclages diz:

    OMISSÃO CONTINUADA PELA CÂMARA MUNICIPAL DO SABUGAL? SIM.

    José Carlos Lages

  2. Silvestre Rito diz:

    Parabéns á professora Máxima Vaz, pelo seu trabalho e dedicação, sendo que nunca é demais, apreciarmos e exaltarmos os cidadãos naturais do nosso concelho ; além do mais, o prémio e seu nome-Beatriz da Silva Ângelo, pelo que sei também originária da Guarda, foi uma enorme mulher dedicando a vida curta mas de intenso trabalho á causa da medicina, assenta muito bem á nossa conterrânea.
    Por todas estas razões e pelo trabalho enorme da professora Máxima Vaz, os nossos parabéns e que Deus lhe dê saúde para continuar o seu grande trabalho.

  3. LUIZ CARLOS PEREIRA DE PAULA diz:

    Ninguém é Profeta na sua Terra

  4. leitaobatista diz:

    E pensar que o Município do Sabugal recusou homenagear esta Grande Senhora!

  5. Maria Maxima Vaz diz:

    Obrigada pela consideração. É verdade, ninguém é bom profeta na sua terra. Devo esclarecer que os autarcas de LOURES sempre me consideraram. Atribuíram me a medalha de Merito e Dedicação em 1997. É grau prata, o mais alto que atribuem a individuais, pois o grau ouro só é para instituições. Fui também galardoada nesse ano, pela freguesia de Odivelas e por Caneças. Ingratidão só um caso que não significa nada, perante todos os outros. Ninguém agrada a todos. Além disso, vivo a cidadania sem pensar em pessoas concretas, mas sim na comunidade e a comunidade sempre me demonstrou grande estima. Estou feliz e realizada. Não ambiciono honrarias nem riquezas. Sempre quis muito mais – ser feliz. E sou. O meu abraço Amigos

Deixar uma resposta