Charlatães

António Emídio - Passeio pelo Côa - © Capeia Arraiana

A União Europeia «por fora» é muito linda, mas interiormente é uma «guerra» terrível de interesses entre países, é maior a divisão que a união.

Marine Le Pen é candidata a Presidente da República da França - António Emídio - Capeia Arraiana

Marine Le Pen é candidata a presidente da República Francesa

Os Estados mais débeis economicamente estão em vias de se transformar em protectorados das grandes multinacionais dos países mais poderosos, essa é que é a Globalização tão querida aos Neoliberais. Todos sabemos que as multinacionais investem fora dos seus países de origem, mas a sede principal está nas capitais dos seus países de origem – o caso do TTIP, as grandes corporações americanas (multinacionais) à conquista da Europa (Leste e Sul…), mas Trump acabou com o negócio, segundo ele afirmou…
Veja querido leitor(a) como a Alemanha se portou com alguns países da União Europeia, os amigos, os sócios! Presumo que Portugal também está aqui incluído… Os bancos alemães emprestaram dinheiro aos amigos e sócios, com uma condição; tinham de adquirir produtos alemães! Assim foi, ganhou o Estado alemão, os bancos alemães e as empresas alemãs, agora é tudo credor da Alemanha! Quem foi o «tontinho» que pensou, e ainda pensa, que no momento histórico como o actual, do salve-se quem puder, aparecia uma instituição como a União Europeia, em que os países ricos empobreciam, para enriquecer os países pobres!!!! Mas podia haver solidariedade, mas não há! Segundo as gazetas, os países ricos estão a preparar-se para engendrarem uma União Europeia a duas velocidades, ou seja, a primeira e o recuo…
E o que é o nacionalismo? Esse nome que os amantes da Globalização Neoliberal chamam aqueles que não a aceitam? É o que eles fazem!!! Em primeiro lugar estão os interesses dos seus próprios países, só depois os dos outros, assim fizeram Obama, Cameron, Merkel e Hollande. Quando quiserem insultar Trump, chamem-lhe primário, nunca nacionalista, porque senão estão a ser hipócritas.
Querido leitor(a), os governantes das grandes potências económicas e militares são todos nacionalistas, populistas e mentirosos, o senhor Bush filho não destruiu o Iraque para lhe roubar as suas riquezas, as suas matérias primas, usando para isso uma mentira? Dizendo que o Iraque tinha armas poderosíssimas?

:: ::
«Passeio pelo Côa», opinião de António Emídio

Deixar uma resposta