Das quintas-feiras às sms’s

Ramiro Matos - Sabugal Melhor - © Capeia Arraiana (orelha)

O livro de Cavaco e as sms´s do ministro são dois factos tão graves que me levam a dizer algo sobre os mesmos.

sms - ramiro matos - capeia arraiana

As sms’s do ministro Centeno e de Domingues

1 – As quintas-feiras do sr. Cavaco
Resolveu este senhor que durante tantos anos foi dando cabo de Portugal, publicar a sua versão das reuniões semanais com o primeiro-ministro Sócrates.
Este é um ato que torna indigno quem o comete, mas, e sobretudo, revela uma falta de sentido de estado de que não há memória.
Fui durante 4 anos presidente da Assembleia Municipal do Sabugal. Durante esses anos tive inúmeras reuniões com o presidente da Câmara, durante as quais falámos abertamente sobre tudo. E falámos abertamente porque quer eu, quer o meu interlocutor, sempre soubemos preservar a dignidade e o respeito pelos órgãos de soberania local a que presidíamos.
Do teor dessas conversas nunca transpirou nada para fora e, continua a não transpirar.
E é este sentido de estado que o sr. Cavaco parece não entender.
E fez bem o atual presidente quando veio dizer de forma clara que não escreveria nunca um livro semelhante.

2. As sms’s do ministro Centeno
PSD e CDS fazem uma «feroz» guerra de «alecrim e manjerona» exigindo a divulgação das mensagens entre Centeno e Domingues.
Ora este é um precedente perigosíssimo, e por tal motivo a Constituição e as leis protegem de forma clara a confidencialidade das conversas privadas que cada cidadão entende ter.
E não é possível aceder às mesmas sem uma ordem judicial devidamente justificada.
Por este motivo a pretensão do PSD e do CDS só deveria ter resposta se os dois intervenientes se dispusessem a divulgar o conteúdo das sms’s, ou se um tribunal decidisse solicitar às operadoras a cedência das gravações.
Mas há três atores que agiram mal. O sr. Domingues que, pelos vistos, deu as mensagens ao sr. Lobo Xavier (pois não me parece que tenha sido o ministro); o sr. Lobo Xavier que leu e deu a ler mensagens privadas sem autorização de um dos interlocutores (o ministro); e o presidente da República que aceitou tomar conhecimento de mensagens privadas.
E aquele argumento de um senhor do PSD a dizer que mensagens trocadas por ministros não são da esfera privada, mas sim pública, é um argumento de tal modo falacioso que só pode ter como consequência a abertura de um site na internet onde todos tomemos conhecimento de todas as mensagens trocadas por qualquer eleito político…

Com isto tudo, até parece que a situação da Caixa não está bem encaminhada; que o PIB não dá mostras de crescer de forma sustentada; que o desemprego não está a descer; que o défice não está em níveis historicamente mínimos; que não foi abatido já em 2017, 1 por cento ao valor da dívida do Estado; que o poder de compra das famílias não está a subir; etc. etc.
Ou será que anda tudo ligado?

:: ::
ps. A realização no próximo sábado de mais um capítulo da Confraria do Bucho Raiano é um acontecimento de realce na vida concelhia ao qual, infelizmente, não estarei mais uma vez presente, pelas razões que muitos conhecem.
Tenho a certeza que vai ser mais um momento de glorificação deste nosso enchido e mais uma oportunidade para divulgar a todo o país as nossas terras e a nossa cultura.
Não posso igualmente deixar de apoiar a iniciativa de honrar um dos confrades, o Alcínio, grande sabugalense, raiano e Homem, para além de um grande artista plástico.
:: ::
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

One Response to Das quintas-feiras às sms’s

  1. armenimo diz:

    Obrigado à Confraria do Bucho Raiano por promover o nosso produto regional: o Bucho.

Deixar uma resposta