Há 90 anos os militares abandonaram Almeida

Efemérides - 2015 - © Capeia Arraiana

A 19 de Fevereiro de 1927 o Exército Português abandonou em definitivo da praça de Almeida, retirando da fortaleza o esquadrão de cavalaria que ali se mantinha.

Para forte de Almeida

Para forte de Almeida

A praça de Almeida é considerada a mais monumental do país, a par com as praças-fortes de Valença (no Minho) e de Elvas (no Alentejo).
A actual forma em estrela da praça, com estrutura abaluartada, remonta ao século XVII, altura em que, no contexto da Restauração da independência, foi restaurada e ampliada, transformando-se numa poderosa fortaleza. As obras de construção dos baluartes foram iniciadas em 1641 pelo então governador da Beira, Álvaro Abranches, e as mesmas só ficaram concluídas no final do século XVIII, com o Conde de Lippe – general alemão contratado para reorganizar o exército português.
A praça de Almeida teve um papel crucial durante o período que se seguiu à Restauração, fazendo face às sucessivas incursões espanholas, e voltou a ganhar notoriedade no decurso das invasões francesas, no início do século XIX.
Em Agosto de 1810 foi cercada pelas tropas francesas da 3ª invasão, comandadas pelo marechal André Massena. O intenso bombardeamento a que esteve sujeita fez explodir o paiol de pólvora, que arrasou o castelo medieval de Almeida, matando cerca de quinhentas pessoas. Os estragos causados pelo impacto da explosão forçaram a capitulação da praça, que ficou entregue aos franceses. Quando estes foram forçados a abandonar Portugal, a guarnição colocou-se em fuga, minando e explodindo uma boa parte da praça.
No século XIX, durante o período das Guerras Liberais (1832-1834), Almeida voltou a ser palco de confrontos, alternando o seu controlo entre Absolutistas e Liberais, e tendo as suas casamatas servido como prisão para mil e quinhentos prisioneiros políticos.
Em 19 de Fevereiro de 1927 a fortaleza deixou definitivamente de exercer funções militares, com a saída do último esquadrão de cavalaria que ali estava aquartelado.
A fortaleza está classificada como Monumento Nacional pelos Decretos 14.985, publicado em 3 de Fevereiro de 1928, e 28.536, publicado em 22 de Março de 1938.
Bem conservados, os seus baluartes remanescentes, podem ser vistos na actualidade, destacando-se no interior da praça: o Quartel das Esquadras, os alicerces do antigo castelo, a Pousada, a Casa da Roda e o edifício dos Paços do Concelho, antigo Quartel da Artilharia.
Almeida goza também do estatuto de Aldeia Histórica de Portugal.
plb

Deixar uma resposta