Futebol – Sabugal venceu Vila Franca das Naves

Sporting Clube Sabugal - Sabugal - Capeia Arraiana (orelha)

Realizou-se este domingo, dia 7 de Fevereiro, em Vila Franca das Naves, a segunda eliminatória da Taça da Associação de Futebol da Guarda, tendo o Sabugal derrotado por 1-2 a equipa local, que é líder do Distrital da Segunda Divisão.

12039369_1626163274309826_7416129822611067699_n

Sendo esta uma competição que o Sporting Sabugal já venceu é novamente aposta do clube voltar a vencê-la, foi pois sem surpresa que o treinador Ricardo Igreja escalou aquela que considerou ser a melhor equipa para vencer o opositor, tendo entrado de início: Nuno Morais, Pedro, Maio, Sérgio, David, Jorgito, Nuno Marcos, Ricardo, Camilo, Velho e João Pedro. No banco ficaram Pires, Rui Santos, Fábio, Barra, Mica, Cláudio e Janela.
Não entrou bem o Sabugal talvez pensando que o jogo seria fácil por se tratar de um adversário de escalão inferior. Por isso, logo aos cinco minutos, o adversário poderia ter inaugurado o marcador não fora uma grande defesa de Nuno Morais. Tal lance teve o condão de despertar o Sabugal, que a partir desse momento tomou conta do jogo. Só que o adversário não dava qualquer lance por perdido e, abusando da dureza que o árbitro permitia, obrigou o treinador do Sabugal, logo aos 20 minutos, a fazer duas alterações forçadas, saindo Camilo e Ricardo e entrando para o seus lugares Barra e Rui Santos. Só que há males que vêem por bem e o recém entrado Barra na primeira vez que toca na bola faz um golo de levantar o estádio.
A partir desse momento o Sabugal passou a controlar o jogo com circulação de bola entre os jogadores, evitando as entradas violentas de alguns jogadores locais. Até ao intervalo há a registar uma grande penalidade escamoteada pelo arbitro ao Sabugal, numa entrada sobre Nuno Marcos.
Com o reatar do jogo, mais do mesmo – o Sabugal com mais posse de bola e com oportunidades mais que suficientes para “matar” o jogo, só que, umas vezes por mérito do guarda-redes local, outras por ineficácia dos avançados do Sabugal, o resultado ia-se mantendo.
As emoções estavam reservadas para os últimos cinco minutos. Nesse período houve tempo para o árbitro deixar passar mais uma grande penalidade a favor do Sabugal, novamente por falta sobre Nuno Marcos, que, na sequência do lance, viu amarelo por protestar a decisão do arbitro. Foi neste tempo que Rui Santos voltou a faturar mais um golo para a sua conta pessoal fazendo o 2-0.
E quando se pensava que o jogo estava resolvido o adversário ainda conseguiu reentrar no jogo com um golo marcado a um minuto do fim, golo esse precedido de falta sobre o nosso guarda-redes que o árbitro não assinalou.
Assistiu-se a um bom jogo de futebol, com um vencedor justo e com uma equipa de arbitragem em plano aceitável no que aos juízes assistentes diz respeito, e uma tarde para esquecer do arbitro principal, que foi demasiado benevolente com os jogadores locais, disciplinarmente falando, e com três lances mal avaliados que poderiam ter falseado o resultado final.
SC Sabugal

Deixar uma resposta