Que sociedade – a do amor ou ódio

Alcínio Vicente - Aldeia do Bispo - © Capeia Arraiana

Alcínio oferece-nos uma pintura com mulheres e crianças de colo numa aldeia, e um poema que nos interroga sobre que tipo de sociedade em que vivemos – a do amor ou a do ódio?

Pintura de Alcínio

Pintura de Alcínio

Corre veloz como o vento
Impelido pelo terror nesta sociedade insana
Que invade toda a vida humana
Esta violência que todo o mundo alcança
Capaz de seduzir mesmo os que medeiam a temperança
Vence os baluartes civilizacionais
Arrasa fronteiras e faróis
Derruba e ergue novos pedestais
Tão dúbios como os demais
Que cegueira varre uma turba humana inteira
Parece findar a esperança última, derradeira
Gerar a paz como ordem primeira
Fazem a guerra com suporte no dogma que a rejeita
Sociedade de ideologia falhada
Martirizada por uma informação desinformada
Intoxicada sem dar por nada
ALIENADA
Reino de génios loucos e oportunistas sem escrúpulos
Dos radicalismos ideológicos e religiosos
Do capitalismo desregulado que comanda qualquer estado
Dos barões da política que se eternizam no poder
Sociedade mediatizada, impregnada de lixo tóxico
Violência reactiva e radioactiva.
Onde está o homem solidário do outro homem, sem distinção do seu estatuto social, credo religioso ou ideológico, de raça ou sexo?

:: ::
«Vivências a cor», de Alcínio

Deixar uma resposta