Sete milhões no Parque Termal do Cró!

Ramiro Matos - Sabugal Melhor - © Capeia Arraiana (orelha)

O Plano de Pormenor do Parque Termal do Cró (PTC) agora em discussão pública prevê investimentos superiores a 7 milhões de euros!

Plano de Pormenor do Cró é projeto-âncora

Plano de Pormenor do Cró é projeto-âncora

Nota prévia: A importância deste documento agora colocado à discussão pública, leva-me a interromper o conjunto de reflexões que vinha a fazer sobre o futuro das IPSS, assunto que retomarei na semana que vem.

Em primeiro lugar, não posso deixar de estar de acordo com o plano agora apresentado, pelo seu conteúdo, mas também, porque as propostas elencadas concretizam, no essencial, o Projeto “P11 – Parque Termal do Cró” constante do Plano Estratégico “Sabugal 2025”
Não cabendo nesta crónica uma apresentação detalhada do Plano, evidencio aqui os aspetos que considero principais, aconselhando todos a ler os documentos disponibilizados no sítio do Município:
Pretende-se com a concretização do PTC criar uma “nova centralidade turística, de saúde, bem-estar e lazer, associada ao conceito de família, com uma utilização intergeracional”.
O Plano propõe como projeto-âncora a construção de um Parque dos Sentidos, com 5 zonas exteriores, dedicada cada uma a um dos sentidos – visão, tato, olfato, audição e paladar –, e que representará um investimento de perto de 4M€, 57% do total que se prevê investir.
Como projetos complementares, são apresentados um conjunto de equipamentos, infraestruturas e funções de apoio, reabilitando as construções existentes e que constam, no essencial de: (i) Pátio dos Sentidos para receção informal dos visitantes do parque termal; (ii) Centro de Receção Formal, incluindo posto de turismo e espaço comercial de venda de artigos regionais e de aluguer de bicicletas; (iii) Casa do Piquenique, disponibilizando artigos de apoio ao espaço de piquenique a criar; (iv) Centro de Interpretação Ambiental de divulgação dos valores ambientais e paisagísticos do parque e região envolvente; (v) Atelier do Cró promovendo a recriação de vivências termais passadas e outras atividades culturais; (vi) Sanitários Públicos; (vii) Casa das Termas, espaço de descanso e lazer para apoio aos utilizadores do parque termal; (viii) Casa do Repouso, unidade de cuidados continuados leves e/ou de apoio aos utentes e visitantes; (ix) Casa do Médico; (x) Casa do Devoto, anexa à igreja de Nossa Senhora dos Milagres; e (xi) Área de Serviço para Caravanas e Autocaravanas.
São ainda apresentadas duas propostas de Ocupação turística/oferta hoteleira: (i) Extensão do Hotel Rural – instalações de caráter complementar destinadas a habitação (50 bungalows); e (ii) Parque de Campismo e Caravanismo, com capacidade máxima para 280 utentes.
Prevê-se que o Plano seja executado em 6 anos, mas o faseamento proposto, implicará um investimento nos primeiros dois anos de 4M€.
Trata-se, como esta breve apresentação deixa perceber, de uma proposta muito ambiciosa e muito exigente do ponto de vista financeiro, colocando em risco a sua total concretização, nomeadamente numa altura em que as restrições financeiras se vão continuar a sentir.
Mas, como dizia um general, meu diretor, “O problema não é a falta de dinheiro, o problema são as prioridades…”
:: ::
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

Deixar uma resposta