Plano de Pormenor do Cró em discussão pública

Câmara Municipal Sabugal - © Capeia Arraiana

Está em fase de discussão pública, pelo prazo de 20 dias, o projecto de elaboração do Plano de Pormenor do Parque Termal do Cró, apresentado pela Câmara Municipal do Sabugal.

O antigo balneário das Termas do Cró

O antigo balneário das Termas do Cró

O aviso foi publicado no Diário da República, decorrendo agora um prazo de 20 dias para formulação de sugestões e observações sobre quaisquer questões que possam ser consideradas no âmbito da elaboração do plano. Podem intervir no processo todos os que se considerarem interessados no mesmo.
A proposta de elaboração do Plano de Pormenor, o Relatório Ambiental, a acta da conferência de serviços e demais pareceres emitidos estão disponíveis para consulta no edifício do Auditório Municipal do Sabugal, de terças a domingo, e no Balcão Único, nos dias úteis das 9 às 16 horas, bem como no sitio electrónico do Município.
Os interessados poderão apresentar as observações e sugestões mediante requerimento devidamente identificado dirigido ao Presidente da Câmara, por correio postal ou através de correio electrónico.
plb

One Response to Plano de Pormenor do Cró em discussão pública

  1. Idílio Alves Pereira diz:

    Enquanto criança e adolescente frequentei assiduamente as Termas do Cró onde quase todos os fins de semana tomava o meu banho de limpeza, pela razão de a minha mãe ter sido empregada naquele balneário durante muitos anos.
    Isso levou-me a conhecer razoavelmente bem as duas últimas administrações que geriram a empresa na década de 50.
    Daí, poder dar uma opinião, que só conta o que realmente conta, mas que acho necessária.
    Desconheço em absoluto o “pé” em que se encontram as negociações, se é que as há, com o Instituto de S. Miguel e com os proprietários das ruínas circundantes, que são testemunhas do velho Cró. Por isso e porque penso existir ali um problema, parece-me difícil proceder à elaboração de um plano capaz de satisfazer as exigências que se impõem a uma estruturação adequada ao que já está tão sobriamente feito.
    Em tempos, eu próprio apresentei a alguém responsável pelos desígnios do Concelho, a título de sugestão, um pequeno esboço de um plano para as Termas do Cró.
    Porém, dado a ambição nele contida e a constante falta de meios monetários, esse esboço deve ter ido cair no cesto dos papéis.
    Sugeri, na altura, sem pormenores é certo, além do que neste momento está feito, uma represa no rio côa, a jusante do “poço do boi”, de forma a que o nível da água tangesse as termas,formando assim um grande espaço de lazer aquático, oferecendo vários desportos aos turistas; aproveitar o velho balneário para um espaço cultural ou de âmbito turístico; reconstruir todas as ruínas para aproveitamento turístico ou mesmo residencial para utentes com menos poder monetário; manter a todo o custo o velho pontão que existe sobre a ribeira; e finalmente, a mais longo prazo, a construção de um campo de golfe.
    Seria um plano ambicioso, sem dúvida, mas possível de concretizar com todos os pormenores técnicos ajustados e assim se devolveria toda a dignidade que as termas do Cró adquiriram noutros tempos.

Deixar uma resposta