Um artigo do médico Francisco Maria Manso

Romeu Bispo - Colaborador - 180x125 - Capeia Arraiana

Damos a conhecer um artigo que o médico de Aldeia do Bispo, Francisco Maria Manso, publicou no jornal «Noticias Médicas», edição de Dezembro de 1974, Ano 11— n° 236, sobre o combate aos carbúnculos.

Francisco Maria Manso (1892 - 1982)

Francisco Maria Manso (1892 – 1982)

Estão patentes na exposição «Uma obra com misericórdia», duas caixas com Termo Cautério, nome estranho dado aos objectos que se destinavam a queimar os carbúnculos que eram formações cutâneas malignas provocadas por bactérias que os animais domésticos disseminavam. É de notar que o Dr. Manso foi um dos responsáveis pela erradicação desta doença propondo à Assembleia Nacional a obrigação da vacinação animal como forma de acabar com esta doença.
Transcrevo um artigo de jornal de Dezembro de 1974 a comprovar o que afirmei.
Visite o salão de exposições temporárias do Museu Municipal de Sabugal e tire as suas conclusões.

OS MÉDICOS ESCEVEM — Noticias Médicas Dezembro 1974 Ano 11— n° 236
Não há reivindicações que valham às dos Médicos.
Fomos nós que extinguimos, com as vacinações em todas as Aldeias e Escolas do País, as epidemias de Varíola, e vão terminando com a febre Tifóide, com a Difteria, com o Tétano, com a Tuberculose e é do meu tempo, a extinção da endemia Carbunculosa e cabe-me a recordação… do meu contributo para tal, nos anos 40.
Foram convocados, para aperfeiçoamento no Instituto Ricardo Jorge em Lisboa, uns 20 Subdelegados de Saúde.
O seu Director, Dr. Fernando Correia, propôs-nos um Tema para discussão, sobre: «como acabar com a “Endemia Carbunculosa” em Portugal?», até aí tratada a Termocautério, pústula a pústula, no ser humano.
Todos os Colegas expuseram várias sugestões: «queimar os suínos e animais mortos de Carbúnculo, ou enterrá-los, fazer guerra às moscas, etc.», uma vez que a transmissão ao ser humano, era feita pela picada da mosca, contaminada nos animais portadores da doença.
Eu tinha feito ao Instituto, a notificação de 150 casos de Carbúnculo humano, no Concelho do Sabugal, durante um ano e, tendo ficado para o fim, por ser o Concelho onde a endemia era maior, afirmei:
É possível sim, acabar com a “Endemia Carbunculosa” em Portugal.
“Se alguém possui 200 ovelhas e 20 vacas. Embora exista vacina, para administrar aos animais, não vacina as vacas, nem as ovelhas”.
Tem de pagar o transporte do Médico Veterinário, a Vacina, e por cabeça de ovelha e vaca. Fica-lhe mais económico, nada vacinar e correr o risco de alguns animais morrerem de Carbúnculo?!.
Quanto levam os Colegas Médicos de Saúde Pública, por vacinar as pessoas nas áreas de cada Concelho?…Nem o transporte lhes pagam… a gratuitidade é absoluta?!!!
É pois simples: Dê o Estado “ajuda total” do custo ao Veterinário, e Legisle-se, em Despacho, tornar «obrigatória a vacinação gratuita dos gados», com pesadas multas, aos Lavradores que não compareçam, com os seus animais, às horas e dias marcados, para as vacinações, contra o Carbúnculo”.
Poucos dias depois o Governo assim Despachou e pouco a pouco, terminava em todo o País a “Carbunculose”, tanto animal como humana, com a continuação anual e gratuita, das vacinas “anti-carbúnculo”.
As reivindicações e opiniões Médicas têm de ser atendidas pelos Governantes, quando a experiência e o conhecimento prático das realidades, o demonstrem.

Francisco Maria Manso
(Contribuição na erradicação do Carbúnculo em Portugal)

:: ::
Romeu Bispo (Vice-provedor da Santa Casa da Misericórdia do Sabugal)

One Response to Um artigo do médico Francisco Maria Manso

  1. Bom trabalho. Não haverá similar tratamento para os incendiários que constituem uma autêntica epidemia?

Deixar uma resposta