Tese de mestrado sobre emigração no Sabugal

Hoje destacamos... - © Capeia Arraiana (orelha)

O sabugalense Rui Miguel Amaral Paiva apresentou uma tese de mestrado em História Moderna e Contemporânea, intitulada «Emigração clandestina para França – O Concelho do Sabugal: 1960 – 1974».

Tese sobre emigração clandestina defende papel central do concelho do Sabugal

Tese sobre emigração clandestina defende papel central do concelho do Sabugal

No dia 17 de Novembro foi defendida uma Tese de Mestrado no Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa, do Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), por um descendente da freguesia de Santo Estêvão, no concelho do Sabugal.

Rui Paiva

Rui Paiva

Rui Paiva estudou o tema e fez trabalho de campo, falando com estudiosos, mas também com os protagonistas: emigrantes, passadores e agentes de autoridade.
A tese conclui que o concelho do Sabugal teve um papel central no apoio à emigração clandestina para França, no período em estudo. Foi aqui, que as gentes sabugalenses montaram redes de emigração clandestina e prestaram apoio à travessia da fronteira dos homens e mulheres oriundos de todos os pontos do país. Investigaram-se também as potencialidades da chamada «raia seca», concluindo-se que terá sido o factor principal que permitiu que a zona raiana do concelho do Sabugal se tornasse uma referência na emigração clandestina.
O Júri foi presidido pela Professora Ana Maia Pina, Directora do Mestrado em História Moderna e Contemporânea do ISCTE, sendo ainda constituído pela arguente, a Professora Maria João Guia, da Universitária em Coimbra, e pela orientadora de tese, a Professora Maria João Vaz, do Departamento de História do ISCTE.
O Júri enalteceu a tese pelo contributo para cimentar os conhecimentos científicos na área das migrações contemporâneas portuguesas, ressalvando não existirem estudos científicos aprofundados que abordem a temática específica do Concelho do Sabugal, factor que concorreu para que tenha sido atribuída a classificação final de 19 valores ao autor.
Transcrevemos o «resumo» da dissertação de Rui Miguel Amaral Paiva:

«A emigração é um fenómeno presente na vida social portuguesa, está enraizada, no tecido social português dir-se-ia que faz parte do «modo de estar» da sociedade portuguesa.
A emigração portuguesa para França na década de 60, início da década de 70 do século XX, chega a atingir cerca de um milhão de portugueses, com destino a França.
O concelho do Sabugal, à semelhança de muitos outros concelhos raianos portugueses, foi também ele afetado, pela vaga de emigração.
Na presente dissertação levou-se a cabo uma análise da emigração das décadas de 60 e 70 do século XX, no concelho do Sabugal, com destino a França.
Deu-se especial enfoque aos motivos pelos quais o concelho do Sabugal reunia condições ideais para a atividade clandestina da emigração por via terrestre, bem como, a razão pela qual se tornou um dos concelhos mais afetados demograficamente na década de 60 do Séc. XX, investigando-se também, as potencialidades que a sua geografia raiana apresenta, para a travessia clandestina de emigrantes.
Pela zona raiana do concelho escoaram-se não apenas os nativos das aldeias da raia sabugalense, mas também emigrantes vindos de todos os pontos do país, que por ali atravessavam «a salto», usando os “serviços” prestados por passadores sabugalenses experientes.
A investigação assentou nas décadas de 60 e 70 do século XX, por se afigurarem como as mais dinâmicas em termos de emigração no concelho.
As nossas conclusões apontam para a centralidade do concelho do Sabugal, no fenómeno da emigração clandestina, na época em estudo. Para além dos antecedentes históricos do concelho, nomeadamente a prática enraizada do contrabando, os laços de amizade entre as populações portuguesas e espanholas e por outro lado uma atuação pouco eficiente dos poderes públicos na repressão do fenómeno, situação que também se verificava à época em outras zonas raianas de Portugal, encontrámos no relevo e na hidrografia, um factor singular que não se verifica na maioria da zona raiana continental portuguesa, «a raia seca», que apresentava e apresenta condições muito propícias, para a travessia dissimulada da zona fronteiriça entre Portugal e Espanha.
»

11 Responses to Tese de mestrado sobre emigração no Sabugal

  1. Joaquim Luís Gouveia diz:

    Rui,
    os meus parabéns pela dissertação!

    Quando podemos ter acesso a essa tese?
    Gostaria imenso de poder consultá-la.

    Cumprimentos

    JGouveia

  2. Ramiro Matos diz:

    Os meus parabens!
    Como o Quim Gouveia, também desejava poder ler esta tese.
    Não seria da Câmara subsidiar a publicação da tese?

  3. leitaobatista diz:

    Já tive ocasião de ler a tese. Trata-se de um excelente trabalho que, em minha opinião, é merecedor da elevada nota que o júri lhe atribuiu. Ali se evidencia o papel preponderante do concelho do Sabugal na emigração dos anos 60. As nossas terras não foram só ponto de partida das nossas gentes. O conhecimento do terreno e a experiência do contrabando fizeram aparecer os passadores, que foram buscar gente a norte e a sul para a fazerem passar «a salto» pela raia seca sabugalense.
    Na mesma data e no mesmo ISCTE, numa sala ao lado, apresentou também a sua tese o penamacorense e ex-secretário geral do PS, António José Seguro, sendo arguente o Professor Manuel Meirinho. Obteve 18 valores – portanto abaixo dos 19 valores do nosso Rui Paiva!
    Parabéns

  4. Rui Paiva diz:

    Agradeço a todos que tiveram a amabilidade de de cumprimentar.

    Gostei muito de fazer o trabalho, foi muito interessante, principalmente a parte da pesquisa.

    Relativamente à publicação,da tese, terei muito gosto em que todos os que queiram a possam ler. Já falei com os responsáveis do capeia e terei muito gosto que seja publicado em primeira mão neste jornal. Os responsáveis já concordaram em publicar, no entanto a forma como o vão fazer, fica ao critério editorial deles.

    Cumprimentos a todos.

    Rui Paiva

  5. Parabéns Rui, pelo tema e pela nota. Claro que também vou querer ler. Como diz o PB já ultrapassaste o Seguro; falta passar o Costa. Abraço

  6. Rita Paiva diz:

    Mais uma vez parabéns ao meu querido irmão.

  7. Acácio Pereira diz:

    Grande Rui Paiva, é desta massa que são feitos os homens e mulheres do SEF, parabéns!
    Acácio Pereira

  8. José Manuel Nunes Campos diz:

    Parabéns RUI. Fico feliz pelo sucesso.
    Também procurarei ler desde que me seja possível.
    Felicidades.

  9. Élio diz:

    Muitos parabéns…
    tal como o que antecede…também quero ler…

  10. Embora nâo sendo do Sabugal, conheço de passagem, pois sou natural da aldeia do Peso- Covilhâ. Interessa-me tudo oque diz respeito á emigraçâo de1960/70, pois participei nela como taxista para França e nâo só. Vou estar atento e gostaria de ler a tese apresentada por Rui Paiva. Presentemente vivo no Canada á 40 anos e publiquei um Web site, intitulado / http://WWW.LUSOSNADIASPORA.NET há alguns anos e que vou desactivar este proximo ano.
    B.belar Batista

  11. alberto martinho diz:

    Onde Poderei consulta-la?Estouinteressado em adquirir um exemplar

Deixar uma resposta