GNR fez 16 detenções junto à fronteira

GNR - © Capeia Arraiana (orelha)

O Comando Territorial da Guarda da GNR realizou um conjunto de operações em todo o distrito, na semana transacta, de prevenção e combate à criminalidade, de cujos resultados se destaca a realização de 16 detenções junto à fronteira de Vilar Formoso.

A operação envolveu controlos junto à fronteira

A operação envolveu controlos junto à fronteira

Dos detidos junto à fronteira, quatro tiveram por razão o tráfico de estupefacientes, dois por auxílio à emigração ilegal e dez por permanência ilegal em território nacional.
Os quatro detidos por tráfico de droga, com idades entre 28 e 32 anos, um dos quais de nacionalidade espanhola, são suspeitos de venderem «produto estupefaciente na cidade da Guarda». Segundo a GNR, no momento da detenção, estavam na posse de 1,1 quilogramas de canábis, heroína e cocaína e de mil euros em dinheiro. As autoridades também apreenderam as duas viaturas automóveis que eram conduzidas pelos suspeitos. Os detidos foram presentes ao tribunal de Trancoso que aplicou a medida de prisão preventiva a dois deles e os restantes ficaram em liberdade mas sujeitos a apresentações periódicas nas autoridades policiais da sua área de residência.
Na mesma acção policial a GNR deteve dois homens, naturais do Paquistão, residentes na zona de Lisboa, com 35 e 42 anos, pela alegada prática do crime de auxílio à emigração ilegal. «No momento da detenção transportavam dez pessoas, numa carrinha, provenientes do Bangladesh e do Paquistão, com idades compreendidas entre 20 e 40 anos».
Os detidos foram presentes ao tribunal de Trancoso e ficaram em liberdade, sujeitos a apresentações periódicas nas autoridades policiais da sua área de residência.
Os 10 estrangeiros que seguiam na carrinha foram por sua vez detidos por permanência ilegal no país.
Em toda a semana a GNR deteve no distrito da Guarda 26 pessoas. Para além dos 16 detidos em Vilar Formoso, deteve outros cinco por condução sob efeito do álcool, três por desobediência; um por furto e um por resistência e coacção.
plb

Deixar uma resposta