Efemérides 2015 – 5 de Setembro

Setembro - 2015 - Efemérides - Capeia Arraiana

:: :: EFEMÉRIDES 2015 :: 5 DE SETEMBRO :: :: O Capeia Arraiana publica diariamente as efemérides mais relevantes de cada data… Hoje destacamos a tragédia vivida em Vilar Maior com a explosão dos foguetes, em 1971.

Há 44 anos deu-se a tragédia em Vilar Maior - foto do Memorial aos Mortos

Há 44 anos deu-se a tragédia em Vilar Maior – foto do Memorial aos Mortos

 

Efemérides - Hoje Comemora-se - Capeia Arraiana

>> Dia de S. Vitorino.
>> Dia de S. Herculano de Porto.

 

Efemérides - Hoje aconteceu - Capeia Arraiana

>> O DESASTRE DE VILAR MAIOR
Há 44 anos, no dia 5 de Setembro de 1971, deu-se o desastre da explosão dos foguetes na Igreja da Misericórdia de Vilar Maior, por ocasião da Festa do Senhor dos Aflitos.

A dimensão do desastre
Era o primeiro domingo de Setembro e celebrava-se a Festa do Senhor do Aflitos em Vilar Maior, freguesia do concelho do Sabugal. De manhã, quando a maior parte das pessoas se preparavam para sair de suas casas para se dirigirem à igreja, onde assistiriam à missa festiva seguida de procissão, ouviu-se um enorme estrondo vindo do centro da aldeia.
Tinham explodido os foguetes que estavam depositados num anexo da Igreja da Misericórdia. O templo ficou completamente destruído e os pedaços das paredes e do telhado, atirados à distância, mataram seis pessoas e feriram de gravidade outras sete, enquanto dezenas de homens, mulheres e crianças sofreram escoriações quando amedrontadas fugiram e se atropelaram no largo principal da povoação.

Um testemunho
Palavras comoventes de Carlos Martins no blog de Vilar Maior:
«Parece que ainda sinto o cheiro da pólvora no ar, os gritos das pessoas, a azáfama em acudir aos feridos. Foi um dos dias mais tristes da minha vida. Tenho a recordação dos pedaços dos corpos no chão e nos telhados, as pessoas a pedir lençóis para tapar/recolher os pedaços que iam sendo encontrados. Recordo-me ainda da missa do funeral, os caixões perfilados junto do altar e o sangue a correr pelo chão da Igreja. Só de pensar que por breves instantes não fiquei também lá!!! Até me arrepio. Tinha acabado de subir as escadas do balcão de casa de minha avó e entrado na cozinha quando se ouviu o forte estrondo. Então vim para o exterior e ainda tenho a imagem de uma paisagem cinzenta colorida com os pedaços de telhas. Enfim momentos que marcam uma vida.»

O impacto social da tragédia
O pavor que viveu a gente de Vilar Maior com o desastre reflectiu-se por toda a região.
Logo que se deu o alarme, partiram do Sabugal, Guarda, Penamacor, Covilhã e outras localidades, missões de socorro, compostas por bombeiros e meios médicos para acudirem à tragédia.
A surpresa deu lugar ao medo, porque em todas as festas da região se usavam grandes quantidades de foguetes, e era pouco o cuidado no seu armazenamento. Depois sobreveio a consternação geral pelas mortes e feridos que o desastre provocou.
Em Vilar Maior ainda hoje se recorda com amargura aquela tragédia, que enlutou o dia da grande festa da freguesia, que teria missa, procissão, foguetes, música e baile pela noite dentro. Em lugar disso houve tristeza, dor e desespero.

A Banda de Loriga
No dia da tragédia estava em Vilar Maior a banda filarmónica de Loriga (Seia), contratada pela mordomia. A explosão afectou também esses músicos serranos, que guardaram para sempre nas suas mentes essa fatídica deslocação às terras raianas.
Os músicos tinham acabado de passar defronte à Igreja da Misericórdia quando se deu a explosão. O pânico instalou-se e cada um fugiu para onde pode. Depois veio a ansiedade com uns músicos procurando os demais, temendo-se que alguns deles tivessem perecido.
Mas a tragédia, no lugar de afastar os louriguenses de Vilar Maior, contribuiu para estreitar os seus laços com a aldeia raiana. Todos os anos a Banda de Música de Loriga, actua em Vilar Maior, sendo considerada a deslocação mais relevante de cada ano. Os músicos que compõem a filarmónica sentem-se em Vilar Maior como se estivessem na sua terra, vivendo em cada deslocação a solidariedade com a dor que o povo de Vilar Maior sentiu no dia fatídico.

 

Efemérides - Regionais - Capeia Arraiana

>>1911 – Reaparecimento do semanário «A Guarda», suspenso desde Fevereiro, pelo regime republicano por defender os pontos de vista da Igreja.

>>1971 – Rebentamento de foguetes na igreja da Misericórdia de Vilar Maior, por ocasião da festa do Senhor dos Aflitos.

 

Efemérides - Nacionais - Capeia Arraiana

>>1946 – É recusado o pedido de entrada de Portugal na ONU pela Assembleia Geral, por causa do regime ditatorial do Estado Novo de Oliveira Salazar.

>>1984 – Publicação da Lei-quadro do Serviço de Informações da República Portuguesa.

>>2009 – Morte de João Vieira, artista plástico, pintor, membro do grupo KWY, com René Bertholo, Lourdes Castro, Gonçalo Duarte, José Escada, Christo e Jan Voss, pai de Manuel João Vieira.

 

Efemérides - Internacionais - Capeia Arraiana

>>1569 – Morte do pintor holandês Pieter Brueghel.

>>1735 – Nascimento do compositor alemão Johann Christian Bach.

>>1792 – Eleição de Robespierre para a liderança da Convenção Nacional Francesa.

>>1857 – Morte de Auguste Comte, filósofo positivista francês e pioneiro da Sociologia.

>>1944 – Bélgica, Holanda e Luxemburgo assinam o tratado de constituição do Benelux.

>>1972 – O grupo palestiniano Setembro Negro ataca a Aldeia Olímpica de Munique, fazendo refém a delegação israelita. Os Jogos Olímpicos são suspensos. Morrem 11 atletas.

>>1997 – Morte da madre Teresa de Calcutá, 87 anos.

:: ::
>> Dia 248 de 2015. Faltam 117 dias para o fim-de-ano.
:: ::
jcl e plb

Deixar uma resposta