Festival Ó Forcão Rapazes 2015

Capeias Arraianas / Encerros - © Capeia Arraiana (orelha)

No sábado, dia 22 de Agosto, enquanto um vigoroso incêndio lavrava na zona de Sortelha, na outra ponta do concelho do Sabugal, em Aldeia da Ponte acontecia o 30º Festival Ó Forcão Rapazes, juntando milhares de pessoas para assistirem à evolução do forcão manejado pelas equipas das aldeias raianas.

Aldeia da Ponte recebeu mais uma edição do festival do forcão

Aldeia da Ponte recebeu mais uma edição do festival do forcão

A festa raiana começou com o desfile das equipas participantes, colorindo a arena da Praça de Touros de Aldeia da Ponte.

O primeiro touro a sair do curro foi para a lide dos rapazes dos Fóios. O animal, embora pouco corpulento, investiu ao forcão e proporcionou uma normal prestação, seguida de boas sortes nos recortes, sendo agarrado por duas vezes, para gaudio do público. Mostrando porém um ligeiro problema físico que o fazia amiúde ajoelhar, as pegas, uma delas à moda dos forcados, pareceram fáceis, mas tal deveu-se ao empenho e à coragem da rapaziada fojeira.

Equipa dos Fóios

Equipa dos Fóios

A segunda equipa a pegar ao forcão foi a dos Forcalhos, a quem o azar ditou um touro amedrontado, que não investia, parecendo conhecer bem a dureza das galhas de carvalho que compõem o aparelho. A lide tornou-se impossível, por mais que os pegadores incitassem o animal a ir à luta. Pousado o forção, o touro revelou-se igualmente incapaz de proporcionar boas peripécias aos recortadores, estando invariavelmente encostado às tábuas, protegido dos desafios que os mais ousados lhe lançavam.

Forcalhos

Forcalhos

O terceiro touro saiu para bater no forção empunhado pela equipa da casa, Aldeia da Ponte, fortemente apoiada e incentivada pelo público. O touro bateu nas galhas, mas com pouco vigor, o que inviabilizou o espectáculo de audácia e valentia que os aldeiapontenses ambicionavam proporcionar. Valeram as muitas e boas peripécias que os ousados e experientes rapazes fizeram após a retirada do forcão.

Aldeia da Ponte

Aldeia da Ponte

A rapaziada da Lageosa esperou o quarto touro da tarde. Coube-lhes um forte e destemido animal que investiu valentemente no forcão, partindo galhas como se fosse paus de fósforos e pondo à prova a firmeza dos pegadores. Pousado o forcão, os valentes raianos da Lageosa fizeram o impossível para incitar o touro nos recortes, mas nesta parte o animal não facilitou o trabalho, mostrando-se algo cauteloso nas investidas.

Lageosa

Lageosa

Após uma longa paragem para reparação do forcão, a equipa do Soito esperou o quinto touro da tarde. O animal teve uma entrada fulgurante, de forte embate na galha, mas depois retraiu-se, o que prejudicou a prestação da equipa no manejo do aparelho. Porém a sofrível prestação na manobra do forcão foi amplamente compensada com os excelentes recortes e a ousada pega de caras que os soitenses ofereceram ao seu público, acto de valentia que lhes proporcionou um caloroso e longo aplauso.

Soito

Soito

O sexto touro da tarde foi para os rapazes do Ozendo. Teve uma boa entrada, que parecia poder proporcionar a melhor lide até ao momento, quando um percalço prejudicou o desenrolar do espectáculo: desprendeu-se uma vara de sustentação do forcão, que estava apenas pregada e onde faltava o devido aperto com cordame. O incidente obrigou a uma paragem para mudança de forcão e a dinâmica ficou prejudicada, ainda que o touro continuasse a investir, dando oportunidade à malta do Ozendo para mostrar como domina a arte.

Ozendo

Ozendo

Depois de outra longa paragem para nova reparação do forcão, saiu à praça o sétimo touro, destinado à equipa de Alfaiates. A entrada foi muito forte e sucederam-se outras potentes batidas e o rodopiar constante do forcão face às tentativas do touro em o contornar. Depois da exímia evolução do forcão pela praça, seguiram-se muitas e boas peripécias, que tiveram como prémio calorosos aplausos de um público que se rendeu à bonita prestação dos alfaiatenses.

Alfaiates

Alfaiates

O oitavo touro foi para Aldeia Velha. Deu entrada na arena com uma batida fortíssima, a que se seguiram outras vigorosas investidas que os pegadores aguentaram com assinalável valentia, merecendo muitos aplausos. O touro proporcionou uma excelente função à equipa de Aldeia Velha, que ali demonstrou estar em perfeita forma para a sua capeia, que acontecerá a 25 de Agosto – a última do calendário.

Aldeia Velha

Aldeia Velha

O nono e último touro da tarde foi para a equipa de Aldeia do Bispo e este foi, sem dúvida, o mais forte que entrou em acção. Saiu do curro com ar altivo, e logo que viu o forcão arrancou veloz e investiu na galha com todo o seu peso, gerando um embate fortíssimo, que fez estremecer o aparelho e os pegadores, que o susteram a custo. Temeu-se que a potente batida assustara o animal que recuou para as tábuas, mas as investidas continuaram vigorosas, ainda que em breve se notasse que o animal ficara ferido numa das chaves, o que inviabilizou a plena realização do resto do espectáculo para a malta de Aldeia do Bispo.

Aldeia do Bispo

Aldeia do Bispo

Foi grande dia de festa para o povo raiano e também uma valiosa jornada de promoção da Capeia Arraiana, perante uma praça à pinha, numa tarde de Agosto pouco quente em termos de temperatura, mas seguramente calorosa no que respeitou às emoções.
Os touros começaram por ser fracos, o que indispôs os elementos das primeiras equipas que evoluíram na arena. Porém à medida que a corrida prosseguiu os animais foram-se revelando cada vez melhores, passando a proporcionar bons desempenhos.
plb

Deixar uma resposta