Lar do Casteleiro mostra-se aos familiares dos utentes

Joaquim Gouveia - Capeia Arraiana (orelha)

:: :: CASTELEIRO :: :: Terra de gente boa, trabalhadora que nunca vergou mesmo nos tempos mais difíceis da sua história. Ao mesmo tempo que viu partir os seus filhos para a devastadora guerra em África, chorou aqueles que, espreitando além Pirenéus, procuraram uma vida melhor. Mas nem por isso alguma vez este povo desistiu!

(Imagem retirada do vídeo apresentado aos utentes e seus )familiares em 16 de agosto/2105

(Imagem retirada do vídeo apresentado aos utentes e seus )familiares em 16 de agosto/2105

Olhando sempre em frente, com uma vontade dura, tão dura como as lajes graníticas que povoam a Serra da Vila, foi construindo o futuro que agora é nosso presente.
Foi com esta vontade contínua, quase maternal, de amor à terra, que um dia o POVO do Casteleiro concebeu e desenvolveu esta obra que a todos nos orgulha: ASSOCIAÇÃO DO LAR E CENTRO DIA DE SÃO SALVADOR DO CASTELEIRO.
Longo tem sido o caminho até agora percorrido; vários foram os obstáculos derrubados; inúmeras as vitórias que têm premiado o Lar e Centro de Dia de São Salvador do Casteleiro como uma das instituições que melhor serviço presta aos idosos.
Mas o êxito até agora conseguido, traduzido na qualidade das respostas que diariamente são prestadas aos nossos utentes, só é possível graças ao esforço e dedicação de todos os colaboradores que connosco trabalham, bem como à gestão rigorosa dos recursos que a atual Direção tem vindo a implementar.
Diariamente, colaboradoras dedicadas dirigem-se à residência dos 7 utentes, em regime de Centro de Dia, para se certificarem de que tudo está bem para, de imediato, serem conduzidos à instituição. Aqui passarão o dia, no convívio com outros utentes, sob a vigilância do pessoal que aqui trabalha, cuidando da sua imagem e alimentação, sem descorar os problemas de saúde que afeta cada um em particular.

Diariamente, colaboradoras dedicadas levam uma palavra amiga, um sorriso, um carinho, uma refeição completa aos 10 utentes em regime de Apoio ao Domicílio que, ainda autónomos, continuam na sua casinha, alimentando uma vida que os viu nascer e que, persistentemente, ainda alimentam. Para aqueles que necessitam, a prestação dos cuidados médicos e de enfermagem, a assistência medicamentosa, o acompanhamento a consultas e a exames de diagnóstico, o apoio social e as atividades de animação sociocultural, lúdico-recreativas e ocupacionais representam uma mais valia na qualidade de vida a que todos têm direito.
Mas o Lar do Casteleiro é ainda muito mais!
A nossa capacidade de resposta é também posta à prova, diariamente – vinte e quatro horas por dia, 365 dias por ano, em todos os serviços que presta aos 44 utentes residentes (Estrutura Residencial para Pessoas Idosas):
Alojamento, alimentação, tratamento de roupa, higiene e conforto, cuidados médicos e de enfermagem, assistência medicamentosa, acompanhamento a consultas e exames de diagnóstico, fisioterapia e reabilitação física, atividades de animação sociocultural, lúdico-recreativas e ocupacionais (onde são privilegiadas a interação com outras pessoas do Casteleiro ou mesmo em passeios a outros locais. Também os cuidados de imagem e beleza dos utentes merecem a nossa melhor atenção. Estas tarefas são cuidadosamente executadas por uma cabeleireira que se desloca à instituição e pela a Animadora Sociocultural que diariamente trabalha em função do bem estar de todos quantos aqui “residem”.
Queremos que no Lar do Casteleiro todos os idosos se sintam bem!
Queremos continuar a ser um bom exemplo de respeito pela vida e pelo Homem!
É nestes valores que acreditamos!
:: ::
«Viver Casteleiro», opinião de Joaquim Luís Gouveia

One Response to Lar do Casteleiro mostra-se aos familiares dos utentes

  1. Francisco Vaz diz:

    Parabéns!
    Prossigam esta obra altamente meritória que eu classifico como uma entre as melhores – se não mesmo a principal – do final do séc. XX na nossa área geográfica.

    Francisco Vaz

Deixar uma resposta