Futebol: Sabugal venceu em Vilar Formoso

Rui Nascimento - Sporting Clube Sabugal - Capeia Arraiana

Decorreu este domingo a ultima jornada do Campeonato Distrital da A.F. Guarda, com o S.C. Sabugal a deslocar-se e a vencer o S.C. Vilar Formoso por 1-2, sagrando-se assim Campeão Distrital.

O Sabugal conquistou o campeonato em Vilar Formoso

O Sabugal conquistou o campeonato em Vilar Formoso

Num jogo onde naturalmente a emoção estava ao rubro, o Sabugal encontrou pelo caminho um adversário digno e competente, mas que parecia ter guardado toda a vontade, força e entrega para este desafio, pois apresentou uma dinâmica digna de registo e que caso fosse uma constante durante o campeonato, certamente não teria ficado em antepenúltimo lugar na tabela classificativa.
Assim sendo, presenciou-se a um excelente espetáculo desportivo, pois nem a chuva baixou os ânimos dos intervenientes, nem tão pouco impediu que o campo estivesse repleto de gente, maioritariamente do Sabugal.
Conforme foi a constante do campeonato, o Sabugal entrou a mandar no jogo, assumindo naturalmente as despesas do mesmo, tentando impor o seu futebol por forma a provocar desequilíbrios no adversário.
Por seu lado o Vilar Formoso, com a manutenção garantida na anterior jornada, jogou um futebol aguerrido e intenso, sempre de forma despreocupada, algo que acabou por ser benéfico, pois tentaram sempre ser afoitos sem qualquer preocupação de maior no caso de errar.
Numa toada intensa e com muita posse de bola, o Sabugal conseguia com alguma facilidade criar perigo, principalmente pela sua ala esquerda, onde Nani por três vezes a realizar bom trabalho e a disparar outras tantas bombas, sempre bem defendidas pelo guarda-redes local.

Não faltou apoio à equipa sabugalense

Não faltou apoio à equipa sabugalense

Também de bola parada o perigo ia surgindo, sendo por intermédio de cantos muito bem executados por Sérgio, onde num deles Camilo aparece bem ao segundo poste mas a cabecear contra o colega Janela e a bola a acabar por sair pela linha de fundo. Noutro lance idêntico, Gaspar a aproveitar um ressalto e a disparar com a bola a embater na trave da baliza.
Parecia que ansiedade de fazer golo se apoderava dos jogadores, pois no momento de execução final, havia algo que acabava sempre por correr menos bem.
Numa rápida saída para contra ataque, Sérgio a descobrir uma desmarcação de Manata, que já dentro de área choca com o guarda-redes, mas o árbitro mais bem colocado que nós a nada assinalar.
No entanto e também após a marcação de um canto, Pires recebe a bola junto à marca de penalti e com toda a calma do mundo remata para o fundo das redes, criando o primeiro momento de delírio em Vilar Formoso. Estava assim feito o primeiro golo da partida, dando uma certa justiça ao marcador.
Até ao intervalo continuou a assistir-se a um domínio do Sabugal, com mais algumas chances pelo meio, tendo do outro lado um adversário, que apesar de correrem e lutarem muito, não conseguiam criar uma oportunidade de golo.
Para o segundo tempo, as equipas entraram com as mesmas alinhações mas com intensidades e concentrações diferentes, pois o Vilar Formoso conseguia nesse momento dominar na zona de meio campo, parecendo que o nervosismo do jogo e resultado estava na cabeça dos jogadores do Sabugal, que sentiam algumas dificuldades para controlar a partida.
Num lance onde Nani tenta sair para um rápido contra-ataque, vê a bola ser intercetada no meio campo por Ricardo que de imediato assiste Palhota, claramente o melhoro jogador do Vilar, executando um excelente remate sem dar hipótese a Nuno Morais e conseguindo assim o empate a um golo.
De imediato, Rui Nascimento decide mexer na equipa, colocando mais velocidade e irreverencia na ala direita com Ricardito, tirando Gaspar e reorganizando para o seu lugar Nuno Fifias, que com mais experiência e serenidade que lhe é reconhecida, conseguiu reequilibrar a partida a meio campo, voltando a partir daí o Sabugal a mandar novamente no jogo e neste caso a correr atrás do resultado que lhe interessava, a vitória.
Novamente na marcação de um canto, Pires, um dos melhores em campo, a assistir de cabeça Manata, que num momento de grande inspiração e recorte técnico, só ao alcance dos melhores, tira um coelho da cartola com um excelente pontapé de bicicleta e a ver a bola a embater na trava mas a acabar por entrar.
Neste momento era a loucura nas bancadas, onde todos gritavam a uma só voz, SABUGAL.
Voltava assim para a frente do marcador, sem mais possibilitar qualquer hipóteses de outro desfecho.
Nani que fez quilómetros, começa a apresentar desgaste e Rui Nascimento decide colocar no seu lugar Rebelo, que acaba por ser importante na dinâmica ofensiva, assumindo a posição e ganhando inúmeras faltas, muitas delas em zonas perto da área, dos quais resultaram livres perigosos, que apesar de boas execuções de Camilo e Manata, não deram em golo.
Pelo meio ficaram algumas ações importantes, ressalvando uma que aconteceu a cinco minutos do final da partida, quando Ricardito realiza um excelente trabalho individual pela direita, ultrapassando vários adversário e já na cara do guarda-redes local, assiste ao segundo poste Rebelo, que por milímetros não consegue tocar para o fundo das redes.
No período de compensação e com o Vilar Formoso a procurar claramente o empate, Rui Nascimento decide parar a partida e realizar a ultima substituição, saindo Manata e entrado para o seu lugar Rui Pedro.
Com estas incidências, o tempo correu sem maiores perigo e o árbitro dá por terminada a partida, provocando uma expulsão de alegria dentro e fora de campo, pois o feito porque todos ansiavam tinha mesmo sido alcançado, o S.C. Sabugal com esta vitória sagrava-se campeão.
Para a história fica um jogo intenso, com duas equipas que dignificaram o espetáculo, muito bem gerido pela equipa de arbitragem.
Resultado justo, com clara superioridade da equipa do S. C. Sabugal, que consegui finalmente um feito que há tantos anos procurava, ser campeão.
Valorizar o excelente trabalho alcançada por todos os intervenientes, desde direção, equipa técnica, jogadores e staff, pois conseguiram um resultado que apenas está ao alcance dos melhores.
A equipa do Sabugal apresentou-se com a seguinte constituição:
Nuno Morais (GR), Janela, Miguel, Pires, Pedro, Camilo, Sérgio, Gaspar, Nani, Nuno “Fifias”(C) e Manata. No banco Rui Nascimento tinha, Sampaio (GR), Filipe, Calau, Nuno Oliveira, Ricardito, Rui Pedro e Rebelo.
Crónica de Rui Nascimento

Deixar uma resposta