Futebol distrital – Sabugal empatou em Mêda 1-1

Rui Nascimento - Sporting Clube Sabugal - Capeia Arraiana

Disputou-se este fim de semana mais uma jornada do campeonato distrital, com a equipa do S.C. Sabugal a deslocar-se à Meda e a alcançar um empate a uma bola, que acaba por ser um bom resultado no que concerne às contas do campeonato, tendo em consideração o resultado do jogo que opôs o Vila Cortês ao Manteigas.

O empate não fechou as portas ao caminho para a vitória no campeonato

O empate não fechou as portas ao caminho para a vitória no campeonato

Num jogo onde inicialmente só a vitória interessava, acaba por ter no empate um resultado que mantém o Sabugal a depender apenas de si próprio para poder ser campeão.
Tratou-se de um jogo bem disputado, com duas excelentes equipas e que com todos os seus argumentos tentaram alcançar a vitória.
A equipa do Sabugal esteve quase sempre melhor na partida, tendo muita posse de bola e demonstrando maturidade na gestão do jogo.
Sem grandes acelerações o Sabugal controlava e mandava na intensidade da partida, que apesar de não criar muitas oportunidades claras de golo, dominava a seu belo prazer e jogava maioritariamente no meio campo adversário.
Por sua vez a equipa da Meda defendia globalmente de forma coerente e não deixava a sua baliza ser muito ameaçada, saindo sempre para o ataque com lançamentos longos a tentar aproveitar espaços nas costas da defesa do Sabugal, algo que na 1ª parte não surtiu efeitos.
Em dois excelentes movimentos de ataque, Nani após ser assistido, uma vez por Rui Pedro outra por Gaspar, acaba por não atacar convenientemente a bola, também obstruído por belas intervenções do guarda-redes local, e a não conseguir finalizar.
De realçar que já nestes lances Nani tinha apresentado queixas físicas, o que fez com que Rui Nascimento tivesse que proceder a uma alteração forçada logo aos 25 minutos, entrando para o seu lugar Ricardito.
Esta alteração acaba por surtir efeito quase de imediato, pois logo após entrar, Ricardito consegue ganhar espaço pela ala e tenta assistir Rui Pedro que acaba por rematar ao lado,
Passados 10 minutos, jogada idêntica com os mesmos intervenientes, mas desta vez Rui Pedro a ser muito oportuno e a aproveitar para fazer o 0-1, contando com a colaboração de Válter e Maio que se desentenderam na hora de aliviar o esférico.
Assim se chegava ao intervalo com um resultado justo, pois o Sabugal tinha sido superior.
No segundo tempo o Sabugal entrou muito concentrado, mostrando maturidade que lhe permitia dominar o encontro a seu belo prazer, trabalhando a circulação de bola de forma paciente e com qualidade.
Com a Meda relegada para o seu meio campo, Camilo surge na cara de Válter, mas o auxiliar a assinalar um fora de jogo muito duvidoso.
Pouco tempo depois foi a vez de Ricardito em duas situações surgir em velocidade e a ganhar espaço nas costas da defesa, mas em ambas as situações a serem assinalados foras de jogos, muito contestados por parte do Sabugal.
Numa das poucas incursões no ataque da equipa da Meda, Todo Bom a simular grande penalidade e bem colocado o árbitro da partida a mostrar amarelo por simulação que acabava por ser o segundo, levando á natural expulsão.
Quando se pensava que o jogo deixaria de ter história para as hostes da Meda, dada a superioridade do Sabugal que agora passava a ter mais um elemento, não quando numa desatenção da equipa do Sabugal, perde uma bola já no meio campo da Meda e não conseguem interromper uma subida fulgurante do ala adversário, passando por tudo e todos e já dentro de área a assistir um companheiro ao segundo poste, que sozinho só teve de encostar pata o empate.
Estranhamente ou não, o Sabugal acusou o golo, principalmente porque não sabiam o que se passava nos outros campos e viam já perto do final este golo como um resultado quase fatal.
No espaço de aproximadamente 5 minutos, a Meda tentou aproveitar a quebra psicológica do Sabugal e por duas vezes acaba por criar algum perigo sem no entanto conseguir se quer alvejar a baliza de Nuno Morais.
Rui Nascimento com duas substituições consegue parar a dinâmica adversária e permite à equipa do Sabugal reequilibrar-se psicologicamente, entrando Manata e Rebelo para os lugares de Rui Pedro e Gaspar.
Até ao final só voltou a dar Sabugal, mas por mais 4 vezes, na altura de finalizar a jogada era sempre anulada por pretensos foras de jogo.
Com os ouvidos postos em Vila Cortês, foi dado conhecimento à equipa técnica do Sabugal que o Manteigas tinha perdido e Rui Nascimento não perde tempo e anula algumas indicações que tinha dado para uma pressão constante à equipa da Meda, passando a pedir maior equilíbrio com movimentos de risco nulos, algo que os atletas realizaram na perfeição, chegando-se ao final da partida com uma igualdade a uma bola.
Para a história fica um resultado que apesar de ter sido empate, teve quase o sabor de uma vitória.
No próximo fim de semana o Sabugal recebe o Vilanovense e em caso de vitória entra para a última jornada como líder isolado.
No entanto é importantíssimo não se embandeirar em arco e pensar que por si só jogar em casa é suficiente para ganhar.
É necessária uma equipa responsável, unida, com atitude e muito competente, pois do lado contrário está o adversário que mais dominou este campeonato e que certamente tudo fará para não “morrer na praia”.
A equipa do Sabugal apresentou-se com a seguinte constituição:
Nuno (GR), Miguel, Janela, Pires, Pedro, Nuno “Fifias”(C), Sérgio, Camilo, Gaspar, Nani e Rui Pedro. No banco Rui Nascimento (treinador), Sampaio (GR), Calau, Filipe, Rebelo, Ricardito, Nuno Oliveira e Manata.
Crónica de Rui Nascimento

Deixar uma resposta