Futebol distrital – Sabugal venceu Figueirense por 1-4

Rui Nascimento - Sporting Clube Sabugal - Capeia Arraiana

Disputou-se este domingo a 22ª Jornada do Campeonato Distrital, mais uma vez muito emotiva, onde o Sabugal venceu justamente no difícil campo do Figueirense por 1-4.

Sabugal ganhou em Figueira de Castelo Rodrigo

Sabugal ganhou em Figueira de Castelo Rodrigo

Além das boas incidências a registar nesta partida, o Sabugal sabendo que tinha obrigação de vencer, jogava também com os ouvidos colocados nos ecos que chegavam de Vila Nova de Tazem.
Tendo a responsabilidade de assumir o lugar de candidato ao título, o Sabugal entra forte no jogo, dominando o adversário de uma forma inequívoca nos primeiro 30 minuto, conseguindo um domínio que lhe permite chegar ao 0-1, após cruzamento/remate de Gaspar que Rui Pedro desvia para o fundo das redes.
Estranhamente o Sabugal tira o pé do acelerador e permite que o Figueira comece a disputar o jogo, que mesmo sem oportunidades claras, passa períodos largos perto da área dos visitantes.
Apenas realçar um lance dentro deste período em que Rui Pedro após a marcação de um canto aparece isolado ao 2º poste, mas cabeceia por cima.
Resultado justo ao intervalo mas que merecia uma chamada de atenção para a equipa raiana, que de repente deixou de ser dominador a passou durante um certo momento a ser dominada.
No início da 2ª parte, o Figueira entra melhor no jogo, apesar de não dominar, consegue criar quase sempre perigo com bolas longas nas costas dos laterais adversários.
Na tentativa de matar o jogo, o Sabugal esboça uma boa reação mas que não dura mais do que 5 minutos, altura em que é pedida grande penalidade na área do Figueira, após Nuno Fifias, na nossa opinião ser derrubado por um adversário, mas o árbitro a nada assinalar
O Figueira pressionava e acreditava que podia alcançar o golo e após a marcação de uma falta à entrada da área do Sabugal, acaba por o conseguir. Execução quase perfeita do atleta do figueira que obriga a defesa apertada de Nuno Morais, mas a bola a ficar à mercê de outro adversário, que sem qualquer tipo de pressão, atira a contar, empatando assim o jogo a uma bola.
Este golo abanou a estrutura do Sabugal e em dois momentos de desorientação o Figueira acaba por dispor de duas boas oportunidades, ambas superiormente defendidas por Nuno Morais.
Rui Nascimento neste momento decide mexer no jogo, alterando a dinâmica da equipa, pois sabia que com o resultado que lhe chegava aos ouvidos vindo de longe, era altura do tudo ou nada.
Aos 60 minutos, de uma assentada tira Rui Pedro e Nuno Oliveira, e mete em campo dois jogadores muito velozes e naturalmente frescos, nomeadamente Rebelo e Ricardo Igreja.
Segundo antes destas alterações, salientar que o Sabugal quase fazia o 1-2 por duas vezes. Primeiro, excelente trabalho na ala esquerda de Nani que já na boca da baliza, tenta oferecer o golo a Rui Pedro mas a bola fica curta e acaba por ser intercetada pelo guarda-redes local e logo de seguida o mesmo Rui Pedro desta vez a falhar de forma clamorosa quando aparece solto ao 2º poste e só com o guarda-redes pela frente remata por cima.
A partir daqui só deu Sabugal, a pressão mudou de campo e era a vez de o Figueira defender como podia.
Nani novamente após outro excelente trabalho individual ultrapassa em slalom vários adversários, mas acaba já dentro de área por rematar à figura.
Dois minutos volvidos, Fã que tinha substituído o exausto Nani, ganha bem na ala, efetua cruzamento rasteiro e Ricardito à boca da baliza a apanhar mal na bola e a rematar por cima.
Novamente do mesmo lado, Fã ganha lance idêntico, efetua cruzamento que não é intercetado por ninguém acabando outra vez nos pés de Ricardito que de forma displicente, mesmo estando sozinho em sem pressão, remata por cima.
O golo parecia estar perto, mas tantas eram as claras oportunidades que chegou a pensar-se o pior, no entanto tantas vezes a água vai à fonte que acaba por lá ficar e num lance de insistência dentro de área a bola a ser desviada com o braço por um defesa do Figueira, dando lugar a uma clara grande penalidade, oportunidade que o experiente Sérgio Carvalho se incumbiu de concretizar, fazendo o tão desejado 1-2.
Sem tempo para respirar, foi a vez de Nuno Fifias fintar meia equipa e conseguir ficar isolado apenas com a baliza à sua mercê e a fazer o golo da tranquilidade, 1-3.
Tanta foi a superioridade do Sabugal neste período que o 1-4 acaba por aparecer de forma natural, sendo obtido este golo após um excelente remate de Gaspar fora de área.
Globalmente foi um jogo bem disputado, onde o resultado por vezes esteve numa verdadeira incógnita, mas que após o Sabugal assentar o seu jogo e puxar pelos galões inerentes à sua responsabilidade, acaba por conseguir um resultado justo e principalmente muito importante para as suas aspirações, pois com o resultado do jogo de Vila Nova de Tazem, o Sabugal passou a depender de si próprio para conseguir alcançar o título distrital.
Sabendo que nesta fase os golos valem ouro, importante relembrar que o Sabugal não pode falhar tantas oportunidades, algumas delas de forma tão displicente e até escandalosas.
De salientar outro fator, que na nossa opinião é negativo, pois a equipa de Figueira, à semelhança de outras, é maioritariamente constituída por atletas oriundos de outros distritos e até países, não sendo preenchidos como sempre foram, por maioria de atletas oriundos das nossas zonas, o que deve levar a quem de direito e com responsabilidades nesta área, a pensar e repensar vários fatores, entre eles os processos de formação dos nossos jovens.
A equipa do Sabugal apresentou-se com a seguinte constituição:
Nuno (GR), Miguel Hortelão, Janela, Pires, Pedro, Sérgio, Nuno Fifias (C), Nuno Oliveira, Gaspar, Nani e Rui Pedro. No banco Rui Nascimento (treinador) tinha, Sampaio (GR), Igor, Filipe, Calau, Rebelo, Ricardito e Rafael “Fã”.
Crónica de Rui Nascimento

Deixar uma resposta