Estamos de parabéns!

Ramiro Matos - Sabugal Melhor - © Capeia Arraiana (orelha)

O grande passo para a construção do novo quartel dos Bombeiros Voluntários do Sabugal está dado!

Bombeiros do Sabugal vão ter novo quartel

Bombeiros do Sabugal vão ter novo quartel

Dia 11 de dezembro foi publicado no Diário da República o anúncio do concurso público para a construção do novo quartel dos Bombeiros Voluntários do Sabugal, com um preço base estimado superior a 921.000 euros.
No mesmo dia deu entrada o processo de candidatura ao financiamento comunitário da obra, tendo-se a convicção que o mesmo vai ser aprovado, permitindo assim que a obra se possa concretizar.
Este é o momento pelo qual todos, dirigentes da Associação, Corpo de Bombeiros, Associados e, estou certo, os sabugalenses em geral, aspiravam e vem criar fundadas esperanças de dotar os Bombeiros do Sabugal com melhores condições físicas para melhor servirmos.
Quem conhece as atuais instalações percebe como era e é difícil desenvolver a atividade e estar sempre prontos para responder às solicitações das populações que servimos.
Enquanto associado e presidente da Assembleia Geral da Associação Humanitária dos Bombeiros do Sabugal não posso deixar de me congratular com esta notícia.
Muitos foram os que tornaram este sonho possível, e, a seu tempo, a Associação saberá, estou certo, agradecer a quem contribuiu para a sua concretização.
Não posso, neste momento de alegria, deixar, no entanto, de salientar o esforço e a dedicação dos membros da Direção e, em especial, do seu presidente, o Luís Carriço, que tudo fizeram para este sucesso.
Não posso também deixar de salientar o papel desempenhado pelo presidente do Conselho Fiscal e presidente da Câmara Municipal do Sabugal, pelo seu empenho pessoal, tudo fazendo para que os Bombeiros do Sabugal tivessem esta maravilhosa prenda no Natal de 2014.

(Na próxima crónica voltarei ao Plano Estratégico de Desenvolvimento da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela.)

Ps. Um dos livros marcantes da minha geração, «Pela Estrada Fora» de Jack Kerouac, editado nos EUA em 1957, traduzido para Portugal e editado em 1960 pela editora Ulisseia, é uma leitura hoje cada vez mais atual.
Li-o ainda adolescente e criou em mim a insatisfação que só encontrou resposta em José Mário Branco quando canta «Há sempre qualquer coisa que eu tenho que fazer. Qualquer coisa que eu devia resolver. Porquê, não sei. Mas sei que essa coisa é que é linda» ou em António Variações e nesses versos sublimes «Tenho pressa de sair. Quero sentir ao chegar vontade de partir p’ra outro lugar.»
Ler Kerouac e ouvir José Mário Branco ou Variações, eis o que faz um sexagenário reviver o seu tempo…

:: ::
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

rmlmatos@gmail.com

Deixar uma resposta