Pelourinhos em Terras de Riba Côa (20)

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

:: :: AVELOSO :: :: – Ao conceder forais a determinadas aldeias, as ordens militares ou o Rei reconheciam a sua importância para a defesa ou consolidação do território nacional. No caso de Aveloso, que no século XVI recebeu foral atribuído por D. Manuel I as razões foram essencialmente de natureza eclesiástica.

Ponte romana de Aveloso

Ponte romana de Aveloso

Aveloso é uma freguesia do concelho da Mêda. Localiza-se numa elevação sobranceira à Ribeira de Teja. Esta Ribeira, que nasce a norte de Trancoso atravessa o concelho da Mêda e desagua no Rio Douro, já em terras de Vila Nova de Foz Côa. Como todos os cursos de água desta região corre no sentido sul Norte.
A povoação de Aveloso pertenceu a Penedono, e terá sido doada ao Bispo de Lamego, D. Paio, por D. Afonso II, no início do século XIII.
Nesta povoação os bispos de Lamego tinham uma residência de verão funcionando a Câmara Eclesiástica na igreja paroquial durante esse período. Essa prerrogativa foi perdida a favor Trevões para onde passaram a deslocar-se os Bispos de Lamego, nas férias.
Em Aveloso podem admirar-se ainda diversos portais em estilo Manuelino, bem como diversos símbolos da Ordem dos Templários e da Ordem de Cristo, gravados em elementos físicos de algumas construções. Convém recordar que as terras a sul do Rio Douro, e que actualmente pertencem aos concelhos da Meda, Trancoso e todos os de Ribacôa, eram em grande parte pertença da Ordem dos Templários e posteriormente da Ordem de Cristo.
Foi-lhe atribuído foral por D. Manuel I em 21 de Abril de 1514, passando então a sede de concelho.

Igreja matriz de Aveloso

Igreja matriz de Aveloso

Aveloso, apesar da pequena dimensão do concelho foi certamente um local de grande importância, pois caso assim não fosse não teria sido elevado a concelho. Não deixa de ser curiosa a referência feita pelo pároco de Aveloso, em 1758 quando respondeu ao inquérito determinado pelo Marquês de Pombal: Dizia ele que a freguesia era tão limitada que só tinha de memorável a sua pequenez. Naturalmente que deveriam existir outras razões que levaram esse prelado a fazer tal afirmação totalmente desajustada em representantes da igreja nas localidades.
O concelho foi extinto por Decreto nº. 23 de 16 de Maio em 1832 e integrado no concelho da Meda.
Aveloso possui distribuídas pela povoação várias fontes públicas e uma igreja matriz no centro da aldeia. Foi edificada no século XII em estilo românico de que resta um pórtico lateral, depois de ter sido ao longo dos séculos objecto de obras de alteração e restauro.
O concelho de Aveloso, como concelho que era, possuía um pelourinho, que terá sido construído na sequência da atribuição do foral por D. Manuel I em 1514. Esse pelourinho foi considerado Imóvel de interesse público e a sua descrição pormenorizada encontra-se (aqui).

Localização de Aveloso no Municipio da Meda

Localização de Aveloso no Municipio da Meda

Este pelourinho constava do inventário efectuado pela Academia Nacional de Belas Artes, em 1935 por determinação do Governo da altura (aqui).
Foi restaurado pela Junta de Freguesia de Aveloso em 1967.

Pelourinho de Aveloso

Pelourinho de Aveloso

O brasão de Aveloso, poderia indiciar que o concelho, quando foi criado o tinha sido pela Ordem Militar dos Templários. No entanto tal não corresponde à verdade, pois o concelho foi criado quando esta ordem já tinha sido extinta e criada em sua substituição a Ordem de Cristo por D. Dinis. As duas cruzes que fazem parte do brasão parece-me que pretendem significar a grande importância que quer, primeiro a Ordem dos Templários quer depois a Ordem de Cristo tiveram em toda aquela zona, onde de resto eram proprietárias de extensas terras. O brasão contém também uma ponte, com 3 arcos que tudo indica querer referir-se à ponte Romana sobre a Ribeira de Teja, muito embora não se tenha confirmado essa suposição.

Brasão de Aveloso

Brasão de Aveloso

Em Aveloso contam-se várias lendas, mas a do homem macaco parece-me aquela que é mais conhecida, convido-o a lê-la (Aqui) ou (Aqui).
Aveloso é hoje uma freguesia do concelho da Meda e com a reforma administrativa de 2013 (aqui) manteve o território que possuía, não tendo por isso sofrido qualquer alteração.
Esta freguesia não possuindo qualquer fortificação de natureza defensiva, talvez pelo pouco acidentado do seu território, nem por isso deixou de ser um importante local já depois da reconquista. É um local aprazível e talvez por isso terá sido escolhido pelos Bispos de Lamego para instalarem a sua residência de férias. Visitar Aveloso é certamente empregar bem o tempo numa volta que por aquelas terras façamos. Visite esta localidade.
:: ::
«Do Côa ao Noémi», opinião de José Fernandes (Pailobo)

jfernandes1952@gmail.com

One Response to Pelourinhos em Terras de Riba Côa (20)

  1. Maria Antonia Abrunhosa diz:

    Muito bom conhecer a história da cidade de origem da minha avó paterna. O primo Albaninho sempre presente.

Deixar uma resposta