O bucho triunfou no Sabugal

Paulo Leitão Batista - Contraponto - © Capeia Arraiana (orelha)

Cinco anos após a criação da Confraria do Bucho Raiano, o bucho venceu em toda a linha, tornando-se a imagem de marca da gastronomia sabugalense.

A marca «bucho raiano» é um sinal que identifica a essência de um território gastronómico

A marca «bucho raiano» é um sinal que identifica a essência de um território gastronómico

O Confraria realizou o V Capítulo em Aldeia do Bispo, onde juntou à mesa mais de 300 pessoas, entre confrades, personalidades de relevo, elementos de 20 outras confrarias e muitas pessoas que quiseram juntar-se para degustar o «rei bucho», que foi exemplarmente confeccionado e servido pelo restaurante Trutalcoa.
Em paralelo, a Câmara Municipal realizou os já indispensáveis Roteiros Gastronómicos, desta vez sob o signo do bucho, prato que de resto todos os restaurantes aderentes colocaram nas ementas durante os dias em que decorreu a iniciativa. Atribuiu-se ainda o «prémio iguaria» ao restaurante que melhor bucho apresentou.
O bucho raiano, que pela tradição se degusta na época carnavalesca, é de facto o produto gastronómico que melhor revela os bons sabores da região do Sabugal. Tem paladar intenso e diferenciador, acompanha com outros produtos genuínos e proporciona boa apresentação. Possui portanto o potencial necessário para se tornar num produto de referência para a região, através do qual se pode igualmente promover a demais gastronomia tradicional.
De facto, a aposta no bucho como marca gastronómica diferenciadora, não impede, antes proporciona, a divulgação de outras ementas típicas raianas, como as trutas do Côa, o cabrito e o coelho bravo. O bucho pode ainda integrar um prato a explorar que é o «cozido raiano», de resto tantas vezes degustado na Casa do Concelho do Sabugal em Lisboa.
Cabe aliás realçar o papel histórico da Casa do Concelho na revitalização do bucho raiano enquanto iguaria gastronómica de eleição. Estando o bucho ausente das ementas dos restaurantes, foi a Casa do Concelho que persistiu em servir refeições onde esse prato foi rei. Podemos até afirmar que foi através dessa associação regionalista que o bucho se impôs como iguaria típica do Sabugal e da região envolvente.
Agora que a Casa do Concelho se prepara para um novo ciclo, através da eleição de novos corpos sociais, espera-se que o empenho seja redobrado e, em conjunto com a Confraria, se persista na valorização de um produto genuíno de elevado potencial.
:: ::
«Contraponto», opinião de Paulo Leitão Batista
ant.emidio@gmail.com

2 Responses to O bucho triunfou no Sabugal

  1. Ramiro Matos diz:

    Caro Paulo
    Como sabugalense e raiano, não posso deixar de me congratular com o êxito que o V Capítulo da Confraria teve, e, sobretudo, do papel que a Confraria desempenhou enquanto divulgador desta iguaria e, em consequência, da gastronomia das nossas terras.
    Como sócio da Casa do Concelho do Sabugal e como candidato a Presidente da sua Direcção, aqui deixo uma certeza, a de que, a sermos eleitos, tudo será feito para que a Casa e Confraria acertem agulhas para, quando se revelar útil para O Concelho; trabalhar em conjunto.

  2. jesus Domingos caballero lopes F jesus caballero diz:

    Amigos: É parte gastronomica da minha terra Aldeia do Bispo e pode-se considerar produto histórico de toda a vida. Sem mais, amigos. Saúde, estou convosco.

Deixar uma resposta