Memórias sobre o Concelho do Sabugal (42)

:: :: REBOLOSA :: :: O livro «Terras de Riba-Côa – Memórias sobre o Concelho do Sabugal», escrito há mais de um século por Joaquim Manuel Correia, é a grande monografia do concelho. A obra fala-nos da história, do património, dos usos e dos costumes das nossas terras, pelo que decidimos reproduzir a caracterização de cada uma das aldeias nos finais do século XIX, altura em que o autor escreveu as «Memórias».

Igreja Matriz da Rebolosa - Censos 1758 - Capeia Arraiana

Igreja Matriz da Rebolosa

Esta povoação é situada na margem direita da ribeira de Alfaiates, tendo por isso boas várzeas fertilisadas pelas suas águas. Variam as opiniões a respeito da origem do nome dado a esta freguesia. Dizem uns que deriva do facto de haver ali muitos reboleiros de carvalho e outros que da palavra rebôlo ou pedra de amolar. É povoação muito antiga, habitada desde tempos imemoriais, como se deduz claramente dos vestígios de edificações antigas e materiais de construção. No seu limite têm aparecido muitos tijolos e telhas antiquíssimos, semelhantes aos que aparecem na tapada das Cruzes em Ruivós, junto da igreja de S. Paulo, bem como sepulturas abertas em rochedos. Há tradição da existência ali de um convento de freiras. Nenhuns dados, além da tradição, temos para assegurar que ali houvesse um convento. Não seria isso mesmo muito provável, havendo um na Sacaparte, outro na Nave e outro em Malhada Sorda, embora em épocas diferentes e nenhum deles de grande duração.
Pertenceu ao extinto concelho de Vilar Maior. A sua população no fim do século XVIII era de 36 fogos e 144 almas e actualmente de 127 fogos e 444 almas.
Tem igreja regular, decentemente ornada. O orago é S.ta Catarina. Realiza-se ali todos os anos uma festa luzida no dia de S.ta Catarina, assim como uma pequena feira.
O cura era da apresentação do pároco de Alfaiates, que tinha o título de vigário, embora actualmente se lhe dê o de reitor. Recebia 35.000 reis de côngrua, além do pé de altar.
Actualmente rende, segundo as declarações do pároco que ali esteve, Pe Joaquim Martins Antunes, de Vila Boa, onde faleceu, sendo vigário colado, o seguinte:
Côngrua, 80.000 reis; pé de altar, 40.000 reis; casamentos, 400 reis; baptisados, 320 reis; enterramentos de menores, 80 reis; bens de alms, 3.000 a 9.000 reis.
:: ::
Joaquim Manuel Correia

Deixar uma resposta