Poetando – Valongo do Coa

Manuel Leal Freire - © Capeia Arraiana

«Poetando» é a coluna de Manuel Leal Freire no Capeia Arraiana, na qual aos domingos vai publicando poemas inéditos, cada um dedicado a uma aldeia do concelho do Sabugal. Nesta edição o escritor e poeta dedica um soneto a Valongo do Coa.

VALONGO DO COA

Não há no Ribacoa povoado
Que tenha tantos foros de nobreza
Com fidalguia tanto do agrado
Da gente humilde que labuta e reza

A família Simões que o povo preza
E símbolo com a marca do sagrado
Da liberalidade à portuguesa
Que léguas em redor ecoa em brado

A porta da nobreza é porta forte
Com duas faces duplas de suporte
Mas traço de união e não ditongo

O nome já ilustre se enobrece
Brasões que o linhista bem conhece
Simões são os fidalgos de Valongo.

«Poetando», Manuel Leal Freire

Deixar uma resposta