Um libelo anti-republicano

Manuel Leal Freire - © Capeia Arraiana

A França é a mais velha república europeia dos tempos modernos. No entanto, têm surgido naquele país os doutrinadores monárquicos mais destacados e os mais celebrados críticos do regime, nomeadamente os teorizadores da chamada «Action Francaise».

Maurice Pujo (à esquerda) no escritório de Maurras

Maurice Pujo (à esquerda) no escritório de Maurras

Foi o politólogo Maurice Pujo o criador da expressão.
Estava-se em 1898, quando publicou no número de 19 de Dezembro da revista L’Eclair um artigo para expor como Henri Vaugeois e ele próprio preparavam a luta contra os intelectuais dreyfusarcds.
Mas foi só seis meses mais tarde, exactamente em 20 de Junho de 1899 que o mesmo Henri Vaugeois, numa alocução proferida na Salle des Agriculteurs, Rue Athénes, fundou oficialmente a Action Française.
Seguiu-se a publicação de uma pequena revista mensal, convertida algum tempo depois em bimensal e em 21 de Março de 1908 num diário.
Como se vê, durante cerca de uma década, o movimento não dispôs de um importante e diário órgão de informação, exercendo a doutrinação e o combate pela acção.
Quando em 15 de Janeiro de 1905 se fundou a Ligue d’Action Française que resultou de vários anos de discussão de ideias que do nacionalismo levaram ao nacionalismo integral os traços do movimento poderiam dar-se por fixados.
Importa recordar aqui os termos da declaração que todos os membros da Liga deviam subscrever:
«Francês de nascimento e coração, de inteligência e vontade, cumprirei todos os deveres de um patriota consciente.
Empenhar-me-ei a combater todo o regime republicano.
A república é o regime do estrangeiro.
O espírito republicano desorganiza a defesa nacional.
E favorece as influências religiosas directamente hostis ao catolicismo tradicional.
Por isso, é necessário restituir à França um regime que seja francês.
O nosso único futuro é a monarquia personificada em Sua Alteza o Senhor Duque de Orleaes, herdeiro daqueles reis que, em mil anos, fizeram a França.
Órgão necessário à prossecução do interesse geral a monarquia assegura a autoridade, as liberdades, a prosperidade e a honra.
Entrego-me, pois, à obra da restauração da monarquia, que servirei com todas as minhas forças e por todos os meios»
E Maurras dará no livro Enquete sur la Monarquie a melhor e a mais segura definição de uma estreita conjugação de pensamento e acção que caracteriza o movimento Action Française.
:: ::
«Politique d’ Abbord – Reflexões de um Politólogo», opinião de Manuel Leal Freire

Deixar uma resposta