Presidente da Meda insatisfeito com Governo

Política - © Capeia Arraiana

O Presidente da Câmara Municipal da Mêda, Anselmo Sousa, aproveitou as comemorações do dia do concelho para criticar duramente as medidas de austeridade com que o poder central sujeita os municípios, impedindo-os de resolverem situações urgentes e elementares.

Anselmo Sousa discursa na sessão solene do Dia do Concelho

Anselmo Sousa discursa na sessão solene do Dia do Concelho

A cidade da Meda comemorou em 11 de Novembro, dia de S. Martinho, o feriado municipal, través de uma sessão solene nos Paços do Concelho, que juntou o executivo municipal, a Assembleia Municipal, as juntas de freguesia, algumas individualidades e uma boa parte da população.
Anselmo Sousa, discursando no Salão Nobre, alertou para os problemas com que as autarquias se defrontam actualmente, «devido à aplicação cega por parte do poder central, das novas medidas restritivas que as impossibilitam de resolver muitas das situações urgentes e elementares do quotidiano». O autarca criticou sobretudo a chamada Lei dos Compromissos e os cortes sucessivos nas transferências de verbas para as autarquias. Criticou também a intenção do Governo de encerrar serviços públicos, como o Tribunal e a Repartição de Finanças, o que conduz as pessoas a um sentimento de frustração e de desilusão para com o Poder Central.
«Torna-se necessário a criação de sinergias, unindo esforços para a defesa dos interesses do nosso concelho garantindo deste modo um melhor “bem-estar” para todos», disse ainda Anselmo Sousa, que avisou para o que sucederá se a desunião prevalecer: «perder-se-á toda a autoridade moral para podermos reivindicar um futuro melhor».
Após a sessão comemorativa realizou-se um magusto, distribuíram-se os prémios do 3º Concurso da Castanha e actuaram diversos grupos musicais.
plb

Deixar uma resposta