Pelourinhos em Terras de Riba Côa (9)

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

ALMENDRA e CASTELO MELHOR conceder forais a determinadas aldeias, o Rei reconhecia a sua importância para a defesa do território nacional. Quando essas aldeias entretanto concelhos, perderam essa importância, foram extintos os concelhos. É importante, é necessário, é justo, reavivar a memória dos mais esquecidos.

Igreja Matriz de Almendra

Igreja Matriz de Almendra

Monte de Almendra

Monte de Almendra

Almendra é actualmente uma freguesia do concelho de Vila Nova de Foz Côa localizada na zona mais a sul e confinando com o território de Figueira de Castelo Rodrigo que envolve uma parte substancial desta freguesia.
Por razões históricas, para se falar sobre o concelho de Almendra tem necessariamente de se falar também de Castelo Melhor. Castelo Melhor teve foral atribuido por Afonso IX de Leão que se limitou a dizer que os seus habitantes poderiam escolher os foros que quizessem de todos os que existiam no reino de Leão isto no inicio do século XII.
Castelo Melhor

Castelo Melhor

Quer Almendra quer Castelo Melhor localizam-se numa zona levemente elevada e no conjunto limitada a norte pelo Rio Douro, a Oeste pelo Rio Côa e Este pela Ribeira de Aguiar. Fácil é perceber a importância que estas duas localidades tinham para o reino de Leão quando a fronteira com Portugal se situava no Rio Côa.
Claro que, como noutras localidades da zona, quando a paz é feita com o tratado de Alcanizes estas localidades perdem importâncias em termos da defesa militar pois deixou de haver guerra.
O concelho de Almendra, foi criado em 1298 imediatamente a seguir ao tratado de Alcanizes tendo-lhe sido atribuido foral por D. Dinis, constituindo um novo concelho formado pelas Freguesias de Almendra e Castelo Melhor.
A criação do novo concelho não foi pacífica. Contestava a sua criação o concelho de Castelo Rodrigo que considerava os territorios do novo concelho como pertencentes ao seu termo. A discussão levou a que, em 1312, o concelho de Almendra tenha sido integrado em Castelo Rodrigo.
Concelho de Almendra (1298)

Concelho de Almendra (1298)

Passadas algumas dezenas de anos e depois de várias decisões reais num e noutro sentido, (aqui) Almendra volta a adquirir a sua autonomia tendo obtido foral de D. Manuel I em 1 de Junho de 1510.
Posteriormente, no inicio das reformas do liberalismo, 1835, foram anexadas ao concelho de Almendra as freguesias de Algodres e Vilar do Amargo pertencentes ao concelho de Figueira de Castelo Rodrigo.
Em 1855 o concelho de Almendra e Castelo Melhor foi extinto tendo as respectivas freguesias voltado aos concelhos de origem: Algodres e Vilar do Amargo para Castelo Rodrigo e Castelo Melhor e Almendra para Vila Nova de Foz Côa.
Concelho de Almendra (1835)

Concelho de Almendra (1835)

O brasão de cada uma das vilas reflecte a data da sua criação e bem assim as motivações dos seus criadores. Enquanto que o de Castelo Melhor tem o simbolo do rei de Leão e muralha, que denota preocupações defensivas, o de Almendra reflete já a preocupação com a água e agricultura, representada por 2 ramos de oliveira não descurando a defesa com a representação do muro.
Qualquer dos brasões possui 4 torres que no fundo reproduzem a caracteristica de terem sido concelhos e por isso com a categoria de Vila.
Almendra, enquanto concelho, também possuia e possui o seu pelourinho. Esse pelourinho terá sido edificado no periodo em que foi
atribuido o foral pela primeira vez em 1298, por D. Dinis. Este almendra-f4castelo-melhor-f4pelourinho constava já do inventário elaborado pela Academia Nacional de Belas Artes em 1935 (aqui).
O pelourinho é um monumento de Interesse Público e a sua descrição pormenorizada consta (aqui).
Lendas e histórias são asssuntos que não faltam numa terra com as caractristicas desta vila (aqui). Sendo o Douro confinante e delimitador do actual Municipio de Vila Nova de Foz Côa a norte, só dificilmente estes locais não constituiriam cenários adequados para a existência de lendas.
Pelourinho de Almendra

Pelourinho de Almendra

Almendra foi um concelho medieval durante muitos anos. Almendra e Castelo Melhor acabaram por ter o destino de muitos Municipios da mesma época a quem o poder aplicou a receita que mesmo hoje continua a vigorar.
Enquanto aquelas localidades eram necessárias para a defesa das fronteiras e para garantir a ocupação e povoamento, foram-lhe dadas grandes prerrogativas e direitos. Quando a sua existência deixou de ser fundamental no decurso da história, o poder abandonou-os e seguidamente extingui-os.
A paisagem que do alto dos montes se pode vislumbrar é algo de espectacular sempre. Mas na altura da floração das amendoeiras o espectáculo é deslumbrante com os montes conduzindo o Douro. Passemos por Castelo Melhor e Almendra que o tempo que utilizarmos não será mal gasto. Estas terra, como a generalidade das terras de ribacôa terá de ver nos visitantes, algo como um investimento que se deseja. Engrossemos esse número. Até lá, e para nos abrir o apetite para visita, vejamos algumas imagens do Castelo de Castelo Melhor (aqui).
«Do Côa ao Noémi», opinião de José Fernandes (Pailobo)

jfernandes1952@gmail.com

Deixar uma resposta