O reconhecimento devido

Ramiro Matos - Sabugal Melhor - © Capeia Arraiana (orelha)

Uma lei absurda impede centenas e centenas de cidadãos, que à causa pública tudo deram, de se voltarem a candidatar a Presidentes de Câmara Municipal e de Junta de Freguesia.

Manuel Rasteiro - Junta Freguesia Sabugal - Capeia Arraiana

Manuel Rasteiro – Presidente da Junta de Freguesia do Sabugal

José Manuel Campos - Presidente da Junta de Freguesia dos Fóios - Capeia Arraiana

José Manuel Campos – Presidente da Junta de Freguesia dos Fóios

Fui, sou e serei sempre contra esta lei, e considero que os deputados da Nação não têm moral nem autoridade para decidirem pelos cidadãos em quem podem votar.
E não ignoro os fenómenos de «caciquismo» que, por vezes, estão associados a longas permanências nas Câmaras e nas Juntas. Mas isso nada tem a ver com esta lei, pois o «caciquismo» combate-se no campo democrático e não na imposição legislativa.
A aplicação desta lei também atinge o nosso Concelho, impedindo vários Presidentes de Junta de, se assim o desejassem, se recandidatarem.
E gostaria de personalizar em dois destes Presidentes o reconhecimento que me merecem todos os meus conterrâneos de Aldeia da Ribeira, Baraçal, Fóios, Lomba, Pena Lobo, Quintas de São Bartolomeu, Sabugal, Vale das Éguas, Vale Longo, Vila do Touro e Vilar Maior, que em setembro deixarão de, formalmente, ser Presidentes de Junta, o que não significa, pelo que conheço de muitos, que deixem de dedicar à causa pública e às suas terras uma parte do seu tempo e saber.
O Concelho do Sabugal conta com esses homens para não baixarem os braços e se manterem na linha da frente por um Concelho do Sabugal melhor.
Dirigindo-me a todos os Presidentes com mais de três mandatos, permitam-me que apresente como exemplos, dois grandes nomes do Concelho: o Manuel Rasteiro do Sabugal e o José Manuel dos Foios.
Conheço o Manel Rasteiro desde, praticamente, que nasci, pois foi durante muitos anos o braço direito do meu pai no Grémio da Lavoura e na Cooperativa, tendo ocupado o seu lugar quando se revelou a doença do meu pai.
Aprendi com o Manel muita coisa e ele é o rosto da Junta de Freguesia do Sabugal nas últimas décadas.
Sei do seu amor à terra onde nasceu e, desde sempre, vive, e sei que toda a sua atividade na Junta foi sempre na defesa intransigente dos interesses dos sabugalenses.
Militante do Partido Socialista, tal nunca o impediu de estabelecer boas relações com membros de outros partidos, sabendo sempre preservar as amizades e construir as pontes para um diálogo que fosse a favor do Sabugal.
Quem vier a seguir ao Manel, nessa nova realidade da União das Freguesias do Sabugal e de Aldeia de Sto António, encontrará, estou certo, uma Junta de Freguesia do Sabugal bem organizada, bem gerida, sustentada e com muitas ideias em carteira as quais não houve tempo de concretizar.
Obrigado Manel Rasteiro, por seres meu amigo e pelo que fizeste pela terra onde nascemos e crescemos.

Do Zé Manel dos Foios, deixem-me que trate assim este amigo de longa data, se pode dizer que os Foios não seriam a mesma coisa se este Presidente não tivesse existido.
Hoje os Foios são uma referência incontornável no Concelho, graças à sua visão e ambição, que nunca lhe permitiram um momento de desânimo, acreditando sempre que era possível transformar sonhos em realidade.
Uma ida aos Foios está hoje nos objetivos de muitos que nos visitam e a todos o Zé Manel recebe em festa, pois para ele todos são benvindos e todos contribuem para o progresso da sua terra.
Obrigado Zé Manel por tudo o que fizeste pelos Foios e pelo Concelho do Sabugal, e também por continuares a ser meu amigo.

Mesmo que a lei assim o obrigue, não podemos deixar que homens como estes se afastem da causa pública e, estou certo, os novos Presidentes de Junta saberão convencer os que saem a continuar a lutar pelo futuro da sua terra…

:: ::
ps1. A todos os candidatos à Câmara Municipal aconselho a leitura atenta de dois documentos da máxima importância. O primeiro, publicado pelo Instituto Nacional de Estatística, intitula-se «Retrato Territorial de Portugal – 2011», sendo o segundo, da responsabilidade da CCDR Centro, uma versão de trabalho do «Plano de Ação Regional 2014-2020». Os dois textos estão disponíveis na Internet, nos sítios do INE e da CCDR.

ps2. Embora já tenha passado algum tempo, não posso deixar de referir aqui um encontro verdadeiramente extraordinário de naturais do Concelho do Sabugal que se reuniram em finais de junho na Casa do Concelho em Lisboa para falar sobre o futuro do Concelho, no âmbito do Plano Estratégico em elaboração.
Durante mais de quatro horas dezena e meia de sabugalenses exprimiram as suas ideias, num dos melhores debates a que assisti em toda a minha vida, mostrando como é importante ouvir a diáspora sabugalense quando é o futuro da nossa terra que está em jogo…
Como tive oportunidade de dizer, espero que este seja um dos muitos encontros que se realizem na nossa Casa do Concelho, pois esta foi uma das principais razões porque a Casa foi criada.

ps3. Está disponível nas livrarias e foi apresentado na semana passada no Sabugal, o livro «Manual do Autarca» da autoria de Joaquim Ricardo, de Aldeia de Santo António, candidato a Presidente da Câmara Municipal do Sabugal há 4 anos e, atualmente, vereador sem pelouros. Eis um livro imprescindível e de leitura obrigatória de todos os candidatos.
Ao Joaquim Ricardo os meus parabéns por mais esta publicação que, naturalmente, já reservei e irei ler.

ps4. Uma referência final a um pequeno mas útil livro, com o título «Pare, SCUT e Olhe» do jornalista e meu grande amigo Rui Cardoso, que nos ensina como pagar menos, identificando os caminhos alternativos às portagens das SCUT. Para nós, as dicas sobre as A23 e A25 são, sem dúvida, de grande utilidade. E que bonitas as fotos do pelourinho de Sortelha (pág. 51) e do castelo do Sabugal (pág.53)!
:: ::
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

rmlmatos@gmail.com

One Response to O reconhecimento devido

  1. José Marques Valente diz:

    Beirão das terras de baixo e adoptivo das altas, por opção, sou leitor assíduo e atento do Blog Capeia Arraiana. Este artigo, com que estou inteiramente de acordo é um bom exemplo do nível da maior parte dos intervenientes. LONGA VIDA PARA O “CAPEIA ARRAIANA”.

Deixar uma resposta