À fala com… João Duarte

Autárquicas 2013 - Sabugal - © Capeia Arraiana

Estivemos à conversa com João Duarte, o candidato da Coligação Democrática Unitária (CDU) à Câmara Municipal do Sabugal. O professor, de 53 anos, natural do Soito e deputado na Assembleia Municipal, aposta numa «gestão participada», chamando as pessoas a tomar parte na gestão do Município. Critica o estado do concelho, deitando culpas aos partidos que governaram o País e a Câmara, não esquecendo o PS, um partido que «é aliado do PSD e do CDS em todas as medidas gravosas tomadas contra o povo». Quanto ao significado destas Autárquicas João Duarte não tem dúvidas: elas são a oportunidade para dar o «cartão vermelho» ao Governo, antevendo que «PSD e CDS sofrerão uma derrota monumental».

João Duarte - candidato da CDU à CM Sabugal

João Duarte – candidato da CDU à CM Sabugal

– O que o levou a aceitar candidatar-se pela CDU à Câmara Municipal do Sabugal?
– Não sou filiado em nenhum partido político, apesar de concordar com as posições que o PCP toma na defesa das populações do Interior. Devo dizer que, ao contrário de outras candidaturas, a minha não necessitou de ser aprovada por qualquer órgão de cúpula partidário. Fui convidado pela estrutura concelhia do PCP, que aceitou ser eu o candidato. Sou, portanto, um candidato independente, nas listas da CDU. Pretendo contribuir para o debate sobre as questões essenciais para o nosso concelho e como sou um cidadão com espírito cívico, não podia deixar de participar e expor as minhas ideias.

– A candidatura vai também apostar em listas para as juntas de freguesia?
– Sim, dento do possível, a CDU apresentará listas em algumas freguesias.

– Qual o diagnóstico que faz do concelho do Sabugal em termos de desenvolvimento?
– O diagnóstico é de estagnação total, mas é necessário analisar as causas. A culpa da situação não é só do poder autárquico, mas, sobretudo, do poder central. As políticas erradas seguidas ao longo de muitos anos, apesar de sufragadas com o voto das populações, conduziram-nos a este estado de coisas. Digamos que o PS e PSD (mais o CDS) são os grandes culpados pelo “estado a que chegámos” (como diria o saudoso Capitão do Povo Salgueiro Maia).

– Então considera que o trabalho dos responsáveis políticos que têm estado à frente da Câmara tem sido bom?
– Claro que não considero. Os responsáveis camarários continuam a apostar na política de seguir a linha de obras de fachada (ou promessas das mesmas), que rendem votos, mas nada contribuem para o desenvolvimento sustentável do concelho. O que não vejo, também, é que a alternativa esteja no PS, que não fará a ruptura e mudança necessárias. Enquanto não houver um executivo camarário que aposte na resolução dos problemas das pessoas (por vezes pequenos problemas), chamando-as a participar na gestão, não será com a habitual aposta no betão que o concelho será sustentável. Posso dar um exemplo que já levantei na Assembleia Municipal: não compreendo porque foi construído um estádio de futebol, no Soito, em que as vedações têm umas aberturas que deixam passar todo o frio imaginável num local descampado e quando o campeonato distrital decorre em pleno Inverno. Também não consigo compreender porque nos balneários do mesmo estádio chove quase como na rua. Estarão à espera que algum jovem desportista morra electrocutado nos balneários, para tomarem providências? Isto é resolver problemas das pessoas. Esta é a política que julgo que se deverá seguir.

– O que pensa do processo da empresa municipal Sabugal+, face ao facto de ter sido ultrapassado o prazo legal para a sua dissolução? Ainda será possível salvar os empregos e garantir os serviços que a empresa presta?
– Desde sempre que a CDU se manifestou contra a criação das empresas municipais. Concordo com esta posição e, afinal, provou-se quem tinha razão. O resultado da criação de empresas municipais em autarquias geridas por CDS, PSD e PS está à vista.

– Mas a verdade é que a empresa existe e se for dissolvida poderá lançar dezenas de pessoas no desemprego. Qual é a solução, na perspectiva da CDU?
– Para o dia 13 de Julho foi marcada uma Assembleia Municipal para discutir, mais uma vez, esse assunto. Esperemos que, desta vez, o assunto fique resolvido. A CDU sempre foi favorável à internalização dos trabalhadores. Como nos informam que, se houver internalização, apenas 18 dos mais de 30 trabalhadores terão o trabalho garantido, a CDU tem apoiado todas as propostas (venham de onde vierem) que visem garantir o fundamental: os postos de trabalho. Já apoiámos propostas do PS e do PSD, visando a defesa dos postos de trabalho. Mas é uma questão complexa, porque a lei que visa extinguir as empresas municipais é uma lei cega, que não tem em conta a especificidade de cada município. Mas não foi a CDU que deu início ao processo da criação das empresas municipais (sempre foi contra), nem que as extinguiu. O grande culpado é o Governo PSD/CDS e o PS, ou seja, os partidos que assinaram o famigerado “memorando” com a Troika. Não sabiam o que estavam a assinar?

– O concelho do Sabugal está próximo de duas auto-estradas (a A23 e a A25), não havendo contudo bons acessos a estas vias. O que considera prioritário para o concelho – retomar a construção da ligação à A23, ou apostar na requalificação da ligação à Guarda?
– A CDU, na Assembleia Municipal, sempre defendeu uma ligação condigna à A23, embora sublinhando que a sua execução deveria ser do poder central. Concordo com esta posição. Acho, também, que a ligação à Guarda é tão prioritária como a ligação à A23 e uma não invalida a outra. Só que, mais uma vez, deverá ser o poder central, que tem dinheiro para Swaps, BPN, PPP’s e submarinos a executá-la. Essa do não haver dinheiro só cola nos incautos.

– O que pensa do Plano Estratégico de Desenvolvimento que a Câmara está a elaborar neste momento?
– Todo o contributo para o desenvolvimento do concelho é bem-vindo. O plano faz parte desse contributo. Quando estiver, completamente elaborado, cá estaremos para o discutir.

– O PS do Sabugal costuma criticar os eleitos da CDU por votarem muitas vezes na Assembleia Municipal ao lado do PSD. Que comentário lhe merece essa posição dos socialistas?
– O PS, que é aliado do PSD e do CDS em todas as medidas gravosas tomadas contra o povo português, tem o descaramento de dizer isso? O PS que apoia a privatização dos CTT, que em muitos municípios apoiou a privatização da água, que encerrou escolas e outros serviços públicos, diz isso? Ninguém pode acusar a CDU de ter, na Assembleia Municipal, uma posição de “bota-abaixismo” sistemático. Temos aprovado propostas vindas do PS ou do PSD, sempre que as achamos justas. Já da parte do PS não se nota essa abertura para apoiar propostas vindas da CDU, facto que ainda se agravou mais neste último mandato. Nunca a CDU votou contra uma proposta que achasse justa, só porque vinha do PS. Já o PS votou contra e absteve-se em muitas propostas da CDU, apesar de serem justas.

– Que ideias principais sustentarão o programa eleitoral da CDU?
– Vamos a propostas concretas, sem demagogia. Como se sabe o tempo das obras de fachada já lá vai… Assim, propomo-nos e comprometemo-nos a construir um canil e gatil municipal condignos, a propor a gestão municipal participada pelas populações, a reforçar as verbas para os Bombeiros do Sabugal e do Soito, a propor a adesão do Sabugal à Rede Territorial Portuguesa de Cidades Educadoras. Também nos empenharemos na descentralização dos serviços municipais para as freguesias, nomeadamente para o Soito e Bendada (e onde mais se justificar), através de recursos humanos e financeiros. Queremos reforçar as verbas para as associações desportivas, culturais, recreativas, de apoio à terceira idade, bem como para a acção social e solidariedade. Comprometemo-nos a transformar a praia fluvial do Sabugal numa infra-estrutura digna e atraente, a dar um maior aproveitamento ao anfiteatro do castelo do Sabugal, do Auditório Municipal e do Centro de Juventude, Cultura e Lazer do Soito, para fins culturais. Queremos ainda recuperar a gíria quadrazenha, em colaboração com as escolas do concelho.

– Os partidos de esquerda, incluindo os que formam a CDU, estão descrentes em relação ao governo do país e defendem eleições antecipadas. Considera que as eleições autárquicas são uma boa oportunidade para castigar os partidos que suportam o governo (PSD e CDS)?
– Sou totalmente a favor da realização de eleições antecipadas. O Governo já não tem legitimidade. Só se sustenta porque temos um Presidente da República que é partidário e o defende por ser dos seus apaniguados. Se houvesse eleições, seria o descalabro total dos partidos da maioria. Considero que as eleições autárquicas são essa oportunidade de castigar o Governo, com um cartão vermelho. Aliás, acho que no dia das Autárquicas, o Governo cairá, uma vez que está ligado à máquina que é Cavaco Silva. O estrondo vai ser total. Pelo menos, nos grandes centros (e até nos concelhos pequenos) o PSD e CDS sofrerão uma derrota monumental. Ninguém consegue aguentar tanta austeridade, que, como se tem visto, nada resolve e só agrava a pobreza. Ao contrário do que querem fazer crer, as eleições têm relação umas com as outras.
plb

7 Responses to À fala com… João Duarte

  1. João Manata. diz:

    Grande entrevista. Fica provado que a CDU é a alternativa mais coerente.

  2. Fiz um comentário ontem e não foi publicado porquê?

    • jclages diz:

      O Capeia Arraiana não é nenhuma publicação de banda desenhada.

      Assim não aceitamos publicar comentários apreciativos (e depreciativos) dirigidos a pessoas concretas e com nome quando o seu autor se esconde por detrás de nicknames manhosos.

      Serve para si e para todos os que são muito corajosos por detrás do anonimato.

      José Carlos Lages

      • José Carlos Mendes diz:

        Boa, JCL (e PLB). Enquanto responsáveis pela edição do ‘Capeia’ cumpre aos dois manter a dignidade e a boa prática de comunicação. Desconheço conteúdos do aludido comentário.
        Mas já antes aqui se discutiu a questão do insulto ou da acusação pessoal sem prova.
        A blogosfera é um mar de oportunidades. Para o bem e para o mal, claro. Há que defender o ‘Capeia’ de invasões «bárbaras» – nisso contem comigo.
        A mim, enquanto editor não me dói nada cortar se for por razões deontológicas e de dignidade…
        Força, companheiros!

      • João Manata. diz:

        Muito bem José Carlos Lages, é assim mesmo.

  3. JFernandes diz:

    Caros JCL, PLB e JCM:
    Totalmente de acordo com o procedimento havido, mesmo sem conhecer o comentário. Uma das razões por que existe a moderação de comentários é precisamente para evitar situações provavelmente desagradáveis para qualquer pessoa.
    E não me venham dizer que isso é censura….
    Manter o CA com a dignidade que tem tido é também uma obrigação de todos os que produzem textos que ai são publicados. Quanto às invasões de “bárbaros”, há que cerrar fileiras para as impedir.
    Um abraço
    JFernandes

  4. Mário Silva Vasconcelos diz:

    Está na hora de apostar nos criativos, estou farto de fatos cinzentos, estou com o Sr. João Duarte.

Deixar uma resposta