Confrarias têm Casa no Casino da Figueira

Confraria Bucho Raiano - Capeia Arraiana (orelha)

A Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas (FPCP) inaugurou a Casa das Confrarias de Portugal, no Casino da Figueira da Foz. A Confraria do Bucho Raiano, do Sabugal, está entre as agremiações gastronómicas ali representadas para dar a conhecer o trabalho realizado em prol da gastronomia.

Inauguração da Casa das Confrarias - foto Confraria das Sainhas

Inauguração da Casa das Confrarias – foto Confraria das Sainhas

O acto inaugural aconteceu na sexta-feira, dia 5 de Julho, contando com a presença de mais de 50 confrarias, entre as quais a do Bucho Raiano, que esteve representada na cerimónia pelo seu Grão-Mestre e vice-presidente da FPCG, Joaquim Leal.
1005087_508602779207982_2013452455_nSegundo Olga Cavaleiro, presidente da FPCG, a Casa das Confrarias de Portugal aproveita um espaço de excelência do Casino da Figueira da Foz para que as pessoas possam conhecer melhor as confrarias, o seu dinamismo, os seus trajes, a sua identidade, a sua gastronomia,
«Este espaço magnífico será aquilo que as Confrarias quiserem que seja… Fazer com que actividade em seu redor seja efectiva para bem do Movimento Confrádico depende apenas da nossa vontade», disse a presidente da Federação.
O projecto resultou de uma parceria entre a FPCG e o Casino da Figueira da Foz, dada a proximidade existente entre as duas entidades, pois já se realizaram no Casino muitas iniciativas de confrarias nacionais.
Após a inauguração, que aconteceu às 19 horas, teve lugar o segundo «Jantar de Reflexão» da FPCG dedicado ao tema «Cerimónias Capitulares, que modelos, que objetivos?», no Salão Café do Casino Figueira.
A Casa das Confrarias de Portugal conta com uma exposição de trajes das diversas confrarias, assim como um conjunto de fotos relativas a cada uma das agremiações ali representadas.
O Traje da Confraria do Bucho Raiano também ali ficou exposto, acompanhado por um texto explicativo da origem da confraria e da excelência do bucho como produto gastronómico português. Transcrevemos esse texto:

«Confraria do Bucho Raiano
1001661_508603992541194_2044707988_nA valorização de um produto de excelência
Sendo o bucho a peça de maior sublimidade entre a gastronomia do concelho do Sabugal, um grupo de amigos organizou, no ano 2007, um almoço para lançamento da ideia da criação de uma confraria.
Após outros almoços de convívio, no dia 6 de Maio de 2009 procedeu-se à escritura da Confraria do Bucho Raiano. No dia 17 de Abril de 2010 teve lugar no Sabugal a primeira cerimónia de entronização, tendo sido madrinhas da novel Confraria as do Queijo Serra da Estrela e da Chanfana, num acto solene que contou com a presença de confrarias de todo o país.
Seguiu-se a adesão à Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas, acto que marcou a integração no imenso mundo confrádico português. O bucho raiano ficou a par de outras iguarias gastronómicas que se evidenciam através das respectivas confrarias.
O bucho, divulgado pela acção persistente da Confraria, é hoje um produto de referência, com produção assinalável e venda para todo o país e para o estrangeiro, tornando-se num dos ex-libris da região do Sabugal.
A ementa do bucho
Pedaços de carne de porco são colocados em marinada que contém água, sal, alho e pimento (colorau).
Ao terceiro dia, as mulheres enchem as bexigas do porco com a massa e dependuram-nas nos varais do fumeiro.
O Entrudo é a época mais propícia a comer o bucho, sendo da tradição toda a família se refastelar com a peça.
Confecciona-se introduzindo-o numa panela de ferro, envolto em pano de linho, que evitará que rebente. Mantido em lume brando, o cozimento dura 3 horas. Vai à mesa acompanhado de batatas cozidas e abundância de grelos de nabo.»
plb

2 Responses to Confrarias têm Casa no Casino da Figueira

  1. Joaquim Fonseca diz:

    Quem suporta estas representações do “Bucho” que, ao mesmo tempo são representações do concelho de Sabugal?
    A Autarquia?

    • leitaobatista diz:

      Caro Joaquim Fonseca,
      Respondo-lhe na qualidade de Chanceler (presidente da direcção) da Confraria do Bucho Raiano. As despesas com a representação da confraria em capítulos de outras confrarias ou em eventos diversos, são asseguradas pelos confrades que participam nas mesmas. No caso concreto da inauguração da Casa das Confrarias a que alude a notícia, as respectivas despesas – transporte, refeições, etc – foram suportadas pelo Grão-Mestre, Joaquim Leal, que se deslocou do Sabugal à Figueira da Foz. Na última assembleia geral, aprovámos o regulamento interno que acerca disso refere que o confrade que represente a confraria em pelo menos um evento em cada ano fica isento de pagar a respectiva quota anual. Isto não compensa minimamente mas não deixa de ser um pequeno incentivo para que os confrades do bucho se disponibilizem para representar a confraria nos vários eventos. Só assim conseguiremos levar o nome do Sabugal a todo o país e faremos com que ao nosso capítulo, realizado todos os anos no Sabugal, compareçam as demais confrarias portuguesas.
      Paulo Leitão Batista

Deixar uma resposta