Quanto custa ir a um capítulo?

Paulo Sá Machado - Emoções Gastronómicas - © Capeia Arraiana

Cada vez é maior nossa convicção de que algo tem de ser corrigido em relação aos preços praticados nos Capítulos, por muitas das Confrarias Gastronómicas e Báquicas.

Cada vez é maior nossa convicção de que algo tem de ser corrigido em relação aos preços praticados nos Capítulos, por muitas das Confrarias Gastronómicas e Báquicas.
Mas fazemos as contas por alto, e tomando por média o preço de trinta euros para participar na refeição, assim como tomemos uma média de cem quilómetros a percorrer para chegar a um local.
Um casal que vá um fim de semana gastará sessenta euros na refeição, vinte euros em combustível e outro tanto em portagens, sem contar com o desgaste do material.
Quer dizer, que por semana gasta cem euros, e por a quatro cerimónias de entronização ou capítulos, terá uma despesa de quatrocentos euros mensais, no mínimo. No momento actual, é avultado o montante, mas lá diz o ditado, “quem corre por gosto não cansa”. Achamos que todos nós devemos participar nos Capítulos de outras Confrarias, mas que há que pensar, há, e muito mais, quando nos apercebemos, através de informação dada pelas próprias Confrarias, que as realizações têm o apoio e patrocínio de muitas e variadas entidades.
Algo, supomos, tem de ser feito para a dignificação dos Capítulos, pois estes são pontos de encontro culturais, de promoção de produto, do próprio turismo, por excelência, e não locais para se consumir em excesso, mas sim degustar e essencialmente para conviver.
Aqui fica esta nota, que não pretende mais do que fazer um aviso à navegação.

Emoções Gastronómicas - Paulo Sá Machado - Capeia Arraiana

Emoções Gastronómicas – Paulo Sá Machado – Capeia Arraiana

Concurso gastronómico «Sabores de Março» em Esposende
Como já vai sendo habitual realizou-se em Esposende – Sabores a Março, uma interessante iniciativa do Turismo da Câmara Municipal de Esposende, que tem por fim, a promoção de produtos locais. Este ano notou-se uma evolução muito positiva, assim como uma mais cuidada apresentação e confecção dos pratos, o que coloca Esposende como um local a ir e apreciar, a sua já muito boa gastronomia.
Continuamos a defender a gastronomia tradicional portuguesa, pelo que registamos com agrado que a grande maioria optou por ela, mesmo quando fomos a restaurantes que tinham comida de outros paladares. Felicitámos e deixámos os votos para que a Câmara Municipal de Esposende continue com esta importante iniciativa.
O Júri do Concurso Gastronómico foi constituído por João Leite Gomes (Confraria dos Gastrónomos do Minho), Marco Gomes (Chefe do Restaurante Foz Velha, Porto), António Alexandre (Chefe do Hotel Marriot, Lisboa), José Silva (Enólogo e crítico) e Paulo Sá Machado (Confraria da Broa de Avintes).
:: :: Bom apetite :: ::
«Emoções Gastronómicas», crónica de Paulo Sá Machado

(Ensaísta, Historiador)
paulosamachado@netcabo.pt

Deixar uma resposta