O concelho do Sabugal em 1942 (18)

Anuáriio Comercial Portugal - 1942 © Capeia Arraiana

Continuando a fazer a caracterização do concelho do Sabugal no ano de 1942, com base na 62ª edição do Anuário Comercial de Portugal, vamos agora expor quem eram os agricultores, os proprietários, negociantes e profissionais de duas freguesias do concelho: VALE DE ESPINHO E VALONGO DO CÔA.

Vale de Espinho

Vale de Espinho


VALE DE ESPINHO
Esta freguesia situa-se a 15 quilómetros da sede do concelho e a 19 da estação de caminho-de-ferro da Cerdeira. Tinha uma população de 1.826 habitantes.
Serviços institucionais, actividades económicas e profissionais:
Presidente da Junta de Freguesia: José Manuel Moreira.
Juiz de Paz: José Manuel Moreira, que tinha por escrivão Joaquim Nabais do Amaral.
Pároco: José Maria Martins.
Regedor: Isaac Lopes.
Posto do Registo Civil: Dulce L. Moreira (ajudante).
Encarregado do Correio: José Maria Clemente.
Agência de seguros: A Mundial, representada por José Maria Lopes.
Alfaiates (4): António Varandas, Joaquim António Varandas, José Gonçalves Madaleno, José Martins Coixo.
Barbeiros (3): Albano Nabais, Francisco N. do Amaral, Joaquim Nabais Amaral.
Vendedores de fazendas (3): Francisco da Vitória, José Clemente, José Manuel Vaz.
Ferradores (2): Isaac Lopes, Manuel José Mendes.
Guarda Fiscal – posto fiscal e de despacho: segundo sargento Salvador E. Nogueira (comandante).
Professores (4): Branca Anunciação Lopes Moreira, Carlos Augusto Cavaleiro, Dulce Lopes Moreira, Manuel Augusto.
Lavradores (2): António Vigário e Francisco Pires.
Mercearias (3): Alfredo Lopes, Florentino Lucas, José Maria Clemente.

VALE LONGO
Esta freguesia situa-se a 18 quilómetros da sede do concelho e a 8 da estação de caminho-de-ferro da Cerdeira. Tinha uma população de 274 habitantes.
Serviços institucionais, actividades económicas e profissionais:
Presidente da Junta de Freguesia: Joaquim António Monteiro Simões.
Pároco: António Fernandes Monteiro.
Regedor: Germano Afonso Pires.
Encarregado do Correio: Joaquim António Monteiro Simões.
Lavradores (2): viúva de João Fonseca e herdeiros de Manuel Bernardo Simões.
Registo Civil: anexo ao Seixo do Côa.
No próximo artigo (o último desta série) publicaremos quais eram os protagonistas em 1942 da vida económica nas freguesias de Vila Boa, Vila do Touro e Vilar Maior.
Paulo Leitão Batista

3 Responses to O concelho do Sabugal em 1942 (18)

  1. José Manuel Corceiro diz:

    O nosso amigo, Paulo Leitão, dá-se à estima de nos prendar com estes saberes… O andor de São José, da foto, é transportado, nas duas”pernas” da frente, por mim lado direito e o meu amigo, José Alexandre, lado esquerdo… Obrigado e um abraço.

    • leitaobatista diz:

      Caro amigo José Manuel Corceiro,
      Cometi a imprudência de omitir que a foto foi roubada do seu Facebook. O seu a seu dono…
      Quanto aos saberes que transmito, neste caso devem-se a um estimado conterrâneo, com casa comercial aberta no Sabugal, que me fez chegar às mãos o Anuário Comercial de 1942. O meu trabalho foi transcrever e dar a conhecer aquilo que julgo que é importante transmitir.
      Um grande abraço.

  2. José Manuel Corceiro diz:

    Amigo Paulo Leitão
    Não foi imprudente nem “roubou” foto alguma…
    A particularidade de eu ter dito, num comentário, que eu estava na foto, foi no desenvolvimento dum contexto em que eu respondia a uma questão posta pela nossa amiga, Natália Bispo…
    Eu senti-me lisonjeado por ter selecionado esta antiga foto para ilustrar este seu belíssimo e importante artigo, que nos descreve dados estatísticos, do antigamente, no caso concreto, sobre Vale de Espinho, a minha aldeia…
    Sabe, todo o Raiano se sente, dalguma maneira apaparicado e um pouco envaidecido, sempre que se depara com assuntos que falem das suas raízes… Um homem sem história é um homem sem memória…
    Um abraço

Deixar uma resposta