O elefante Salomão passou no Casteleiro

O elefante Salomão, o do livro de Saramago «A Viagem do Elefante», tinha vindo da Índia para ser mostrado em Lisboa. Mas o nosso rei D. João III resolveu oferecê-lo ao primo, o sacro imperador Maximiliano II da Áustria.

Notícia de última hora:
«O elefante indiano Salomão, o real (porque ele existiu mesmo e fez esta viagem romanceada «agora» por José) passou pelo Casteleiro em 1551 ou 52.
A minha teoria é simples: inevitavelmente, neste troço da viagem, entre Castelo Novo e Sortelha, naqueles anos de antanho, o Salomão foi conduzido por ali: pela Ribeira da Cal e pelo Casteleiro (parece que era esse o traçado da Calçada), passando na Calçada Romana que está assinalada pelo Mar(i)neto acima, Serra da Vila acima, até Sortelha.
Aliás: alguém me explica como passaria na Calçada Romana (ou calçada medieval, sabe-se lá), que vinha desde a Beira Baixa até à fronteira a Norte… sem passar no Casteleiro?
Claro que Saramago nunca diz que passou aqui ou ali: preferiu dizer sempre que «o elefante poderia ter passado por aqui». É que ele não estava a fazer um livro de História mas sim um livro de ficção literária».
«A Minha Aldeia», crónica de José Carlos Mendes

2 Responses to O elefante Salomão passou no Casteleiro

  1. João Valente diz:

    O de Saramago passou e foi-se, mas outros vieram para ficar.

    • Teresa Duarte Reis diz:

      Olá, Sr José Carlos Mendes, um comentário interessante, sim senhor! A propósito da viagem do Elefante, ou a despropósito, li vários livros de Saramago de que gostei mais! Este, tornou-se muito repetitivo!
      Ora, mas quem sou eu? Comentários destes são opiniões muito pessoais! Boas escritas!

Deixar uma resposta