Os programas eleitorais autárquicos

Combater a desertificação humana do concelho do Sabugal é o objectivo comum aos programas eleitorais das várias candidaturas à Câmara Municipal do Sabugal. Capeia Arraiana «esmiuçou» os vários planos de acção para os próximos quatro anos e dá conta daquilo que em cada um é mais expressivo.

Ana Isabel Charters - CDS-PP - SabugalANA ISABEL CHARTERS, candidata do CDS-PP, aceitou ser candidata por ter sentido o «chamamento» das origens e propõe-se fazer o melhor que sabe.
No seu programa de acção começa por se comprometer a obter junto dos organismos responsáveis as condições técnicas necessárias para o acesso eficaz ao telemóvel e à Internet em toda a área do concelho.
Tal como os demais candidatos, elege a desertificação humana como a principal preocupação: «Sem uma luta sem tréguas neste domínio de nada valerão os restantes esforços camarários.»
Bater-se-á pelo apoio da Câmara às associações e aos privados que queiram concretizar projectos económicos na área dos desportos a desenvolver na barragem do Sabugal, na área da pesca desportiva, na área das bicicletas de montanha, na construção de parques de campismo, de campos de férias e de unidades de juventude.
Ana Charters vai acarinhar o rio Côa, evitando a sua poluição e promovendo a limpeza das margens. Fomentará os Encontros Ambientais do Sabugal, para que os jovens possam, durante as férias e em campos próprios, trocar experiências e aprender com especialistas desta área como conseguir um equilíbrio ecológico sustentável.
Para Ana Charters, «ser velho não é uma doença: chegar a velho é uma virtude», pelo que se propõe fomentar a animação recreativa e cultural, de confraternização social, de ocupação de tempo ao ar livre e de exercício físico para os idosos.
Também se propõe intermediar entre os agricultores e o Ministério da Agricultura, criando um posto de atendimento permanente na Câmara destinado aos agricultores.

António Dionísio - PS - SabugalANTÓNIO DIONÍSIO, candidato do Partido Socialista, apresenta um programa assente na ideia de mudança para a criação de «um concelho do Sabugal com futuro». No fundo, pretende um concelho «atractivo para nascer, crescer, viver, trabalhar, investir, envelhecer e visitar».
Propõem-se afirmar o Sabugal no contexto regional, lançando mão de um conjunto de medidas para obter o desenvolvimento sustentado, apostando no turismo, reforçando a coesão social e fomentando a cultura e o associativismo. Por outro lado António Dionísio pretende promover a qualidade de vida, melhorar as acessibilidades e melhorar a «governação local». Dentro das medidas propostas surge o compromisso de «apoiar o reconhecimento da Capeia Arraiana enquanto património cultural único», e a introdução do ensino da língua espanhola nas escolas.
O programa aponta um conjunto de medidas, que se propõe realizar já em 2010. Dentre elas está a criação do gabinete de imagem do concelho e a instituição da figura do provedor do munícipe. Também pretende criar conselhos municipais: dos anteriores autarcas, da cultura, desporto e lazer e do turismo. Também fala na loja do cidadão móvel e na loja do munícipe, prometendo ainda levar as reuniões do executivo municipal às freguesias.
O candidato socialista enumera ainda um conjunto de programas, a implementar a breve trecho, como: o «Novo Sabugalense», de apoio à gravidez e à maternidade; «O Meu Livro Escolar» para distribuição de manuais aos alunos; o «Férias de Verão» para ocupação dos tempos livres; o «Noivos Felizes» de apoio aos jovens casais; o «Na Minha Casa», para melhorar o apoio domiciliário aos idosos; o «Sou Idoso, Estou Isento» para livrar os idosos de impostos e taxas municipais; o «Sabugal Terra da Castanha» para incentivo à plantação de castanheiros; o «Sabugal, Terra Doce» para apoio à apicultura; o «A Minha Aldeia é Linda» para requalificação das aldeias; e o «Sabugal Alternativo», para apostar nas energias renováveis.

António Robalo - PSD - SabugalANTÓNIO ROBALO, candidato do PSD, tem como maiores apostas o combate ao despovoamento e a obtenção de mais coesão social e mais competitividade para o concelho. Atrair investimento, melhorar as infra-estruturas e os serviços públicos, promover a protecção do ambiente, o desporto e o lazer, são também metas essenciais.
O candidato aposta na inovação e na promoção do emprego qualificado, bem como na dinamização das actividades económicas. Numa palavra: «manter o concelho no rumo certo».
O programa aponta para grandes objectivos: um concelho empreendedor, um concelho atractivo, um concelho preocupado com as pessoas, um concelho com ensino qualificado, um concelho equilibrado, um concelho jovem e inovador.
Enumeramos algumas medidas concretas que constam do plano de acção nas áreas do empreendorismo e da acção social: constituir a «SabugalInvest» para a captação de investimento, incluir pavilhões multiuso no espaço do mercado municipal, requalificar o espaço entre as pontes do sabugal do rio Côa, criar um centro de micologia, apoiar a efectivação do projecto Ofélia Club (1027 camas e 342 empregos em Malcata), criar condições de conforto e segurança nas capeias arraianas, fundar uma universidade sénior e defender a implementação de uma rede de cuidados continuados.
Na área da educação, a candidatura também aponta medidas: construir os centros previstos na carta educativa, dar mais meios informáticos às escolas e instalar o Centro de Estudos Pinharanda Gomes.
Para se atingir um concelho equilibrado, fala-se na conclusão da ligação A23-Fronteira, na requalificação das estradas e numa melhor parceria entre a protecção civil municipal e os bombeiros.
Também se defendem medidas para os jovens: criar um Fórum Jovem voltado para debates temáticos, criar espaços informais de desporto e de convívio.
O programa eleitoral acaba com a revelação de um sonho do candidato: «A instalação de um parque temático com atractividade internacional».

Joaquim Ricardo - MPT - SabugalJOAQUIM RICARDO, candidato do MTP – Partido da Terra, expõe no seu programa dois objectivos estratégicos: gerir na autarquia a pensar nas pessoas e promover a sustentabilidade económica e social.
Para gerir melhor a autarquia propõe um conjunto de «medidas estratégicas», de que são exemplo a promoção da qualidade dos serviços prestados e o reforço das competências das Juntas de Freguesias.
Enuncia ainda um conjunto de medidas no campo da saúde, da cultura e do desporto, assim como da mobilidade, onde fala da criação de circuitos para veículos não poluentes ou a urbanização dos recursos hídricos junto das povoações.
O candidato propõe-se criar um pólo universitário no concelho, desenvolver a indústria da construção civil e dar incentivos à fixação de residência no concelho.
No que toca à meta estratégica de promoção da sustentabilidade económica e social, a candidatura apresenta medidas de apoio à actividade empresarial e social, ao turismo, floresta e ensino.
Joaquim Ricardo quer criar pólos industriais ao longo do território concelhio, incentivar a criação do próprio emprego, apoiar as IPSS criando uma imagem de marca dos seus serviços (que quer promover no exterior) e criar uma liga concelhia das IPSS. Quanto às tradições quer que a capeia arraiana se realize ao longo de todo o ano e, em alternativa a um parque de campismo de grande dimensão, prefere criar pequenos parques de campismo ao longo do concelho.
Quanto ao apoio à floresta, Joaquim Ricardo quer promover a produção da castanha em larga escala, para além de espécies não resinosas. Já na educação quer apoiar as famílias a suportar as despesas com o ensino superior dos filhos e criar uma escola profissional e uma escola de música na Bendada.

José Manuel Monteiro - CDU -SabugalJOSÉ MANUEL MONTEIRO, candidato da CDU, aposta no lema «Tornar Possível o Impossível», assumindo-se como uma candidatura de ruptura.
O programa de acção assenta na ideia de um desenvolvimento com quatro eixos: económico (concelho economicamente viável), social (socialmente coeso e solidário), cultural (aliando a tradição à modernidade), ecológico (sustentável para as gerações futuras).
O candidato aposta na ideia de uma «gestão participada», em que os cidadãos tomam parte em todos os momentos cruciais da vida autárquica, e promete a descentralização das reuniões de Câmara e da Assembleia Municipal.
Como objectivos, a candidatura afirma querer fixar população através de incentivos à criação de emprego, reduzindo ou isentando taxas e impostos municipais, criando apoios às empresas e ao comércio tradicional e dialogando com os agentes económicos.
Também aposta na atracção turística, criando a Rota dos Castelos, reabilitando os núcleos históricos, fomentando o turismo rural e reabilitando os moinhos existentes. Aposta ainda na cultura, recuperando a gíria quadrazenha e constituindo museus do contrabando e da emigração.
Quanto ao lazer, ganha expressão a criação de um passeio público entre a ponte do Sabugal e a barragem, também com funções de ciclovia. No apoio social, quer um concelho socialmente coeso e solidário, criando o «cartão sénior», atribuindo bolsas de estudo e criando um centro de recolha de material escolar usado e outros bens, para distribuição a famílias carenciadas.
Quanto às acessibilidades diz que exigirá ao Governo o reperfilamento da estrada para a Guarda. No que toca aos serviços da autarquia, aposta na implementação de um Balcão Único de Atendimento ao Munícipe e no envolvimento dos trabalhadores municipais na gestão da autarquia.
plb

9 Responses to Os programas eleitorais autárquicos

  1. António André diz:

    Acabo de ler as propostas eleitorais dos dois principais candidatos à CM Sabugal e fico estupefacto com o enorme rol de títulos que o A. Dionísio apresenta ao eleitorado. Coisas soltas, sem nexo, que articuladas, ainda que com muito boa vontade da minha parte, pouco dão. Para melhor esclarecimento do meu raciocínio foco apenas um exemplo: Então vamos encher o concelho de castanheiros? Pouco ambicioso! O que precisamos é duma reflorestação total do concelho, mas onde o respeito pela biodiversidade seja uma realidade.
    O que o Sabugal precisa é, para além de tanto mais, da criação de uma reserva florestal do concelho com a replantação ordenada do carvalho, do castanheiro, do Freixo, do pinheiro…o que em conjugação com a requalificação do Rio Côa, incluindo nela a “Casa do Rio”que funcionaria como centro de interpretação ambiental se converteria num polo de atracção para o turismo natureza.
    Ora esta minha ideia parece-me apenas perfeitamente enquadrável no programa de intenções do candidato A. Robalo, único com alcance para tal ambição.
    Ele é entre os dois aquele que revela preocupação com o rio, com o ambiente e equaciona a criação de um parque temático onde a “Casa do Rio” tem cabimento. A
    A Bem do Sabugal.
    A.André

  2. diogo diz:

    Eu também li o programa dos dois principais candidatos, António Dionísio e José Monteiro, e fiquei estupefacto com a pobreza das ideias do candidato da CDU. Até parece que a candidatura do PSD foi lá beber o sumo dos projectos, só que copiou mal e ficou ainda mais fraquinho.
    Por um Concelho com Futuro é chegada a hora de mudar e acreditar em programas inovadores. Os protagonistas do passado têm que assumir que o rumo não é o certo. Já provaram que não têm capacidade, está à vista de todos. Em nome do Sabugal, não se pode dar mais uma oportunidade a quem já provou não a merecer.

  3. AC diz:

    Os programas eleitorais não são pinturas abstractas, mas mesmo assim parece que cada um vê neles aquilo que quer… e além disso que importam os programas se estes apenas servem para apregoar na campanha?
    Seja qual for o programa, neste momento só existe um Homem capaz de nos fazer acreditar que o Sabugal é um “Concelho com Futuro”, de colocar o “Concelho no Rumo Certo”. E este rumo certo não é de certeza aquele que os cartazes do PSD nos mostram, ou seja, o rumo do concelho não mais pode continuar a descender (vejam os outdoors) nem o saber fazer bem se apregoa. Esse saber fazer bem está à vista de todos que como estamos não passa de um slogan de campanha. Por isso a continuidade não resolve os nossos problemas, mas agrava-os. Há que inovar, modernizar e ter como timoneiro do concelho alguém capaz de nos fazer aceditar que o Sabugal é um “Concelho com Futuro”: o Toni.

  4. João Duarte diz:

    Para o AC:
    Eu penso também que é preciso mudar , mas a nível nacional. Nunca o vi defender que era preciso mudar de Governo. Para o país , está bem como está. Para o concelho é que é preciso mesmo mudar. Grande conversa…

  5. Manuel Russo diz:

    Este domingo eu, e mais alguns amigos arraianos que estamos a trabalhar na Margem Sul arredores de Lisboa; decidimos ir dar um salto à nossa vila do SOITO.Seguimos a caravana dos nossos amigos (MPT)e ;volta ao Concelho.Volta esta, que ficàmos enormamente tristes, e desiludidos com a desertificacao e abandono, do nosso Concelho.Senhores do poder actual, e do passado do nosso Concelho; A prova dos seus erros està à vista,cada vez menos gente.Urgente MUDAR DE POLITIQUISSES e tratar de avancar com o concelho para que venha ao nosso passado= cheio de gente. O outono està presente, é tempo das chuvas o nosso Concelho tem que ficar todo VERDE a partir do dia 11 de outubro VERDE é ESPERANCA

  6. AC diz:

    Para o Sr. João Duarte:
    Grande conversa é a sua. Lá está outra vez o seu ódio ao “Socras” e ao PS a vir ao de cima. Mas é claro que é preciso mudar. E até mesmo a nível nacional. No entanto como pode haver uma mudança se não há alternativas? Ou o Sr. acha que a MFL era alternativa a alguma coisa? A verdade é que havia, a nível nacional, duas escolhas: o mau que faz reformas que mudam o país, ainda que algumas com resultadois menos bons, ou o péssimo que pôs o país de pantanas sem mudar nada para melhor? Para haver mudança tem que haver alternativa. E se quer saber a verdade, acho que o novo Governo vai mudar. Mudar que mais não seja de atitude. Primeiro vieram a reformas duras e cruas. Penso que agora é só fazer os acertos necessários.
    A nível local, a mudança é possível. É fácil escolher porque só há três alternativas:
    – O voto na continuidade, e lá vem mais do mesmo que já todos sabemos
    – O voto na mudança com o Toni, capaz de nos fazer acreditar num concelho com futuro
    – O voto no escuro, ou quiçá desperdiçado, numa das outras candidaturas
    Resumindo, só pode haver mudança quando há alternativa. A nível nacional não havia, a menos que o Sr. preferisse o PSD, não sendo até inédita essa preferência, tendo em conta os que ZitaSeabram por aí.
    A nível local há claramente uma alternativa e está no terreno a tentar passar a sua mensagem. Uma mensagem de esperança, honestidade, competência e inovação. O Sabugal precisa de mudar, e como precisa de mudar, o Sabugal precisa do Toni, por que não há outra forma de MUDAR.
    Tenha a coragem e a ousadia de assumir também a mudança. Não desperdice um voto, porque por um se ganha e por um se perde.

  7. carlos saloio diz:

    Pergunto ao senhor AC:
    -Afinal, o que vai mudar com o candidato que o senhor defende?

  8. fernando lopes diz:

    Agora começo acreditar que AC significa mesmo “Antes de Cristo”!!!
    Então o sr. acha que o Toni é o da mudança??! Até agora sabe-se que mudou do CDS para o PSD e deste para o PS! Eis a mudança que oferece!

  9. AC diz:

    Sr. Carlos Saloio e Sr. Fernando Lopes (que bem poderá ser o Sr. Fernando Lopes Sem Graça):
    Com o Toni muita coisa vai mudar, disso podem ter a certeza. A começar pela atitude, pela forma como vai lidar com as pessoas e com os problemas do concelho, simplesmente porque não é um político ou, se quiserem, um politiqueiro. Vão ver que tenho razão, a começar pelos problemas de abastecimento público de água potável, que, apesar do Sabugal estar a fornecer água para diversos concelhos, ainda existem em mais de 20 povoações do concelho do Sabugal. Sabiam isto?
    Ele há coisas… então primeiro o Toni não prestava porque não tinha experiência na política, dizendo mesmo alguns comentadores da praça que nunca ninguém lhe tinha conhecido uma ideia ou posição política, e vem agora o Sr. Fernando Lopes a dizer que ele se mudou do CDS para o PSD e do PSD para o PS… Mas, mesmo a ser assim e a acreditar no Sr. Fernando Lopes, acho que são de louvar estas suas mudanças, que afinal não são mais do que uma evolução que alguns nunca conseguirão atingir por não verem mais além do que um ideal político muitas vezes incutido por uma qualquer “simpatia” facultada por parte de determinado partido.
    Por fim gostaria apenas de dizer que não me parece que os Senhores residam aqui no concelho, caso contrário saberiam quais as mudanças que se adivinham e que não podemos desperdiçar. Aproveitem para visitar os blogs das diversas candidaturas e terão aí os Programas/Linhas de Acção que os pode elucidar.

Deixar uma resposta