Partido Socialista ganha no Sabugal e na Guarda

O Partido Socialista (PS) venceu as eleições para a Assembleia da República no distrito da Guarda com 36.825 votos que correspondem a 35,97% do total dos eleitores votantes enquanto o Partido Social Democrata (PSD) obteve 36.419 votos (35,57%). No concelho do Sabugal os socialistas venceram também, com 2.924 votos (35,67%) tendo os social-democratas alcançado 2.857 votos (34,85%). Na terceira posição ficou o CDS-PP, que obteve 1.008 votos (12,3%).

O PS e o PSD (separados por 406 votos) foram os dois partidos mais votados nas 336 freguesias dos 14 concelhos do distrito da Guarda. Foram às urnas 102.380 eleitores (58,33%) num universo de 175.522 votantes. Os resultados provocaram a repetição da divisão (dois para cada lado) dos quatro deputados do círculo eleitoral da Guarda. O PS elegeu os candidatos Francisco José Pereira de Assis Miranda e José Albano Pereira Marques e o PSD assegurou António Carlos Sousa Gomes da Silva Peixoto e João José Pina Prata.
Nas 40 freguesias do concelho do Sabugal votaram 8197 eleitores (50,28%) num total de 16304 inscritos nos cadernos eleitorais.

ELEIÇÕES PARA A ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA – 27-9-2009
DISTRITO DA GUARDA CONCELHO DO SABUGAL
Total – 14 Concelhos Total – 40 Freguesias

(Clique nas imagens para ampliar.)

No concelho do Sabugal o Partido Social Democrata (PSD) venceu em 23 freguesias contabilizando 2857 votantes (34,58%). O Partido Socialista (PS) obteve o primeiro lugar em 16 freguesias com 2924 votos (35,67%): Aldeia da Ponte, Aldeia de Santo António, Bendada, Bismula, Casteleiro, Fóios, Malcata, Moita, Quadrazais, Quintas de S. Bartolomeu, Rebolosa, Sabugal, Santo Estêvão, Sortelha, Vila Boa e Valongo. Em Badamalos houve um empate entre os dois partidos, ambos obtendo 13 votos.

O Capeia Arraiana publica de seguida os resultados finais das eleições para a Assembleia da República nas freguesias do concelho do Sabugal.

ELEIÇÕES PARA A ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA – 27-9-2009
CONCELHO DO SABUGAL – FREGUESIA A FREGUESIA
Águas Belas Aldeia da Ponte Aldeia da Ribeira Aldeia S.António Aldeia do Bispo
Aldeia Velha Alfaiates Badamalos Baraçal Bendada
Bismula Casteleiro Cerdeira Fóios Forcalhos
Lageosa da Raia Lomba Malcata Moita Nave
Penalobo Pousafoles Quadrazais Quintas S. B. Rapoula do Côa
Rebolosa Rendo Ruivós Ruvina Sabugal
Santo Estêvão Seixo do Côa Sortelha Soito Vale das Éguas
Vale de Espinho Valongo do Côa Vila Boa Vila do Touro Vilar Maior

(Clique nas imagens para ampliar.)

Concelho do Sabugal – Total de Inscritos: 16304. Votantes: 8197 (50,28%).
Em Branco: 109 (1,33%). Nulos: 176 (2,15%).
jcl e plb

28 Responses to Partido Socialista ganha no Sabugal e na Guarda

  1. A maior vitória da Esquerda desde o 25 de Abril. Essa é que é a verdadeira notícia!

  2. AC diz:

    A abstenção no concelho do Sabugal foi de cerca de 50%. Em 2005 foi de cerca de 45%. No entanto, e por mais estranho que pareça, votaram agora mais eleitores do que em 2005, cerca de 500. A justificação está no facto de o nº de eleitores ter aumentado em quase 2200, de 2005 para 2009. Mas afinal quem são esses novos eleitores? Onde estão? Porque não se reflectem nas votações, mesmo tendo em conta a percentagem da abstenção? Existirão mesmo, ou será que foram contabilizados emigrantes que anteriormente não estavam contabilizados? Ou será que a população do concelho tem hoje mais 2200 pessoas do que em 2005?

  3. Maria diz:

    Esta é uma grande notícia para o Sabugal e que abre novas perspectivas para as eleições autárquicas de dia 11 de Outubro.

    Força Toni!

  4. joaomartins diz:

    H á 4 anos o PS ganhou no Sabugal por cerca de 900 votos de diferença!
    Agora só foram 70. Perdeu 10% dos votos em percentagem.
    Mesmo assim o PS está de parabéns.

  5. joaomartins diz:

    Esqueci!
    Força Toni.Estás no bom caminho!
    Cuidado com os intrusos.

  6. Nuno diz:

    Acho que não deve haver confusões… Autárquicas não são legislativas…

    Nas autárquicas elegem-se equipas de Pessoas, não Partidos.

    Basta olha para duas câmaras sedes de distrito governadas por dois Homens que até concorreram com o mesmo partido, Castelo Branco e Guarda.

    Castelo Branco nas mãos do Mourão emerge e vai ser seguramente a cidade da região centro com maior crescimento e desenvolvimento!

    Guarda nas mão do Valente decai dia para dia.

    Os partidos não governam as câmaras… sim as pessoas que trabalham!

  7. Maria diz:

    Há um mistério nas eleições para a Câmara que ainda não está esclarecido: o MPT tem 60 votos, logo nada ganhou com a sua associação ao nome de Joaquim Ricardo. E o que é que o Joaquim Ricardo ganhou com esta associação?

    Quanto ao sr. Nuno, totalmente de acordo, e por isso é que é preciso correr com aqueles que conduziram o Concelho do Sabugal para o “deserto” em que se encontra…

  8. António Santos diz:

    “A maior vitória da Esquerda desde o 25 de Abril.” , fez alguém este comentário.
    Porque terá sido?
    Será que foi pela maravilhosa governação dos últimos quatro anos do Partido Socialista? Ou pelo demérito do PSD?
    Afinal o PS teve uma votação inferior à votação do PS de Ferro Rodrigues.
    E esta hem?

  9. AC diz:

    O Sr. Nuno está mesmo com problemas em que colem os partidos aos candidatos, e eu compreendo-o perfeitamente, mas concordo com ele quando diz que “os partidos não governam as câmaras… sim as pessoas que trabalham”. No entanto não deixa de ser estranho que o MPT, na freguesia do seu candidato à Presidência da Câmara Municipal do Sabugal, teve apenas DOIS votos Houve outros cinco, mas na mesa situada na área urbana da cidade do Sabugal. Será que foi o candidato e esposa, ou nem eles votaram no partido que o acolheu, retirando-lhe uma série de responsabilidades decorrentes de uma eventual candidatura independente? Se assim foi, então estamos mesmo perante uma situação, no mínimo, de total falta de gratidão. E não podemos também esquecer que os candidatos do MPT assinaram, como é dado a conhecer pelo próprio MPT, um CÓDIGO DE CONDUTA AUTÁRQUICA que inclui o seguinte: “Os autarcas eleitos pelo MPT, filiados ou não, empenhar-se-ão, solidariamente, na sua área de eleição/residência, no seu dia a dia e nas diversas eleições em que o MPT participe, no apoio e dinamização das ideias do MPT, através, nomeadamente, da angariação de novos filiados e na participação em encontros e reuniões partidárias de âmbito local ou nacional para que forem convidados.Os autarcas eleitos pelo MPT, filiados ou não, empenhar-se-ão, solidariamente, na sua área de eleição/residência, no seu dia a dia e nas diversas eleições em que o MPT participe, no apoio e dinamização das ideias do MPT, através, nomeadamente, da angariação de novos filiados e na participação em encontros e reuniões partidárias de âmbito local ou nacional para que forem convidados”.
    Será que no Sabugal não está a ser cumprido o Código de Conduta Autárquica? A ser assim, então começamos muito mal. Se os candidatos não cumprem o que “contrataram” com o MPT, como vão convencer os eleitores de que vão cumprir o que prometem para o concelho?

  10. diz:

    A avaliar pelo número de comentários a tentar deitar baixo o nome do MPT e seu candidato Joaquim Ricardo só faço uma leitura: MEDO!
    Se não fosse uma candidatura significante não havia gente a falar mal, pura e simplesmente não se falava. A prova está no número de vezes que aqui li menções ao CDU ou CDS!

  11. AC diz:

    Não que o MPT incomode muito, mas é claro que incomoda. A questão é o surpreendente resultado do MPT numa altura destas do campeonato. Os restantes resultados seriam mais ou menos esperados, ou seja, uma subida do PSD (que se ganhasse não seria um resultado “anormal”), da CDU, do BE, talvez alguma surpresa na subida do CDS (saberiam os votantes em quem estavam a votar, ou votaram no Paulo Portas?), e uma descida do PS, pelo desgaste provocado essencialmente por alguma “força” na implementação de algumas medidas/reformas, que de outra forma não seriam feitas, digo eu. E, queiramos ou não, os governos da nação têm necessáriamente um desgaste natural (por exemplo com os professores) que nem sempre se reflecte negativamente (lembram-se do Cavaco?) que, e já agora, não se aplica às autarquias, onde mais facilmente se conquistam eleitores porque normalmente os governantes são avaliados pelo que “dão”, muitas vezes estratégicamente, e não pelo que “recebem”. Por exemplo, alguém sabe quanto custa uma licença para construção de uma casa com 150m2 no concelho do Sabugal? Informem-se e depois comparem com os concelhos limítrofes. E já repararam no preço da água? É também esta avaliação que devemos fazer.

  12. João Duarte diz:

    As análises de AC são de uma clareza exemplar. Pergunta ele se os eleitores do CDS saberiam em quem estariam a votar. E os do PS , sabiam que estavam a votar no Francisco Assis, que não conhece nada do Distrito da Guarda? É que eu ouvi muita gente a dizer que ia votar no Sócrates, quando ele era candidato por Castelo Branco.
    O PS sofreu uma derrota, mas ainda se apresenta como grande vencedor. Perdeu 24 deputados e perto de 500.000 votos. Se não se soubesse que o que o PS queria era a repetição da maioria absoluta, até se achava que sim, que teve uma vitória expressiva. Agora , assim, convenhamos…
    É que o Cavaco repetiu a maioria absoluta.
    Na minha análise houve , até, muitos votantes do PSD de sempre que votaram no PS porque este era o partido “duro” e “firme” contra as corporações (como lhes chama o PS). Muitos votantes de sempre no PS é que votaram no BE e , até na CDU, mandando às urtigas o voto útil(assim chamado pelos do PS). O CDS conseguiu os votos de parte dos eleitores de sempre do PSD. Logo, o PSD não podia ganhar, porque na direita não funcionou (desta vez) o voto útil (como lhe chamam os do PS). Quando o Cavaco ganhou, o CDS ficou reduzido a 5 deputados (porque aí a direita foi toda para o PSD).
    No entanto muitos votantes do BE podem voltar ao PS . Esse são mais flutuantes que os da CDU. Mas se o PS não “arrepiar caminho” e continuar na mesma teimosia, pode tê-los perdido para sempre.
    Mas para quem fez uma campanha como a do PS pedindo os votos da esquerda porque vinha aí o Estado Novo (ainda se lembram? Eu não me esqueço), fazer agora uma aliança com o CDS (o cenário mais provável) é que é o fim da macacada. Vamos ver…

  13. fernando lopes diz:

    Fico abismado com certos comentários!
    amos por partes; não confundam legislativas com autárquicas. São actos eleitorais com filosofias diferentes e acções diferentes.
    Umas visam eleger deputados à Assembleia da República e, consequentemente um governo central. E aqui tem mais força a questão da ideologia.
    Nas autárquicas existe – ainda que de certa forma teórica – uma proximidade maior entre os eleitos e eleitores. Logo, uma escolha mais pessoal do que ideológica! Por isso, a candidatura de tantos independentes por esse país fora!
    Algumas análises aqui feitas são simplesmente simplistas (vide o comentário acerca do MPT. Uma aberração!) e tendenciosas…no mínimo!
    Os resultados destas legislativas não podem ser critério para as autárquicas. Deixem, por isso de tentar colar (misturar) o azeite com a água! Não se misturam.
    … E dia 11 de Outubro me dirão!

  14. Nuno diz:

    Sr. AC,

    Leia o que escreveu e encontre a sua verdade…
    Depois leia os seguintes posts…

    Cumprimentos!

  15. AC diz:

    Lá vem o ódio ao PS a vir ao de cima por parte do Sr. João Duarte. Tenha calma que o Cavaco já vai dar cabo deles… e do país.
    Fora de brincadeiras (ou talvez não, porque hoje o Cavaco teve uma atitude no mínino estranha, para não qualificar de outra forma), se calhar os meus comentários não foram claros, mas eu estava a fazer a análise aos resultados concelhios. Mas já agora que fala em números, diz, e é verdade, que o PS perdeu perto de 500.000 votos. Quantos são os professores?
    Em relação ao Sr. Fernando Lopes, claro que o azeite não se mistura com água, mas não seria de esperar algo mais, e como um primeiro sinal, em relação ao MPT? Nas eleições Europeias o MPT até teve mais votos que o CDS na freguesia do candidato do MPT, e isso não foi de estranhar, mas agora acho que foi. No mínimo uma grande falta de consideração para com a “barriga de aluguer” como alguém já chamou por aqui. Podem não concordar, mas esta é a minha opinião.

  16. João Duarte diz:

    Como o sr AC diz que se estava a referir às eleições no concelho de Sabugal, aqui ficam os resultados (subidas e descidas ) no concelho de Sabugal , nas Legislativas.
    De 2005 para 2009 o PS perdeu 570 votos (e têm que se contabilizar nos votos neste partido os 229 que o PS obteve, desta vez, no Soito , onde em 2005 houve boicote eleitoral).
    O PSD ganhou 243 votos em relação a 2005 (se quiser foram os votos do Soito). O CDS ganhou 311 votos em relação a 2005 ( obteve 79 no Soito). O BE otveve mais 229 votos , em relação a 2005 (obteve 49 no Soito). A CDU obteve mais 79 votos em relação a 2005 (obteve 5 no Soito). O PCTP/MRPP obteve mais 38 votos em relação a 2005 ( obteve 5 no Soito). Quanto ao MPT, obteve , nestas eleições, 60 votos e em 2005 não concorreu no círculo eleitoral da Guarda.
    Conclusão: todos os partidos subiram, excepto o PS, que desceu.
    E atenção a este pormenor: um dos candidatos do PS (não suplente) era do Soito, logo do concelho de Sabugal. Tratava-se do sr. Zé Freire que já foi presidente da Câmara.
    Chame a esta análise uma análise baseada no meu ódio ao PS. Eu chamo-lhe a REALIDADE.
    E esteja ciente de uma coisa: é impossível transcrever o resultado de umas eleições legislativas para umas eleições autárquicas.
    Ainda hoje o Luís Filipe Menezes referiu ( e com razão) que os votantes do PSD em Gaia não chegavam para ele ser Presidente da Câmara. Há muita transferência de votos nas autárquicas.
    Refira-se , também, que o CDS e o BE , nestas autárquicas, irão ficar , em termos de conquista de Câmaras Municipais numa proporção de 1 para 25 ou mais em relação à CDU.
    Sobre o Cavaco sempre lhe direi que houve muitos votantes do PS que votaram nele para conseguir ser Presidente da República. Com certeza que ele não foi Presidente com o meu voto. Os votantes no PS que o elegeram é que terão alguma coisa a dizer agora.

  17. fernando lopes diz:

    Ao Sr. AC (espero que estas iniciais não signifiquem Antes de Cristo!…), lá continua a tentar comparar umas eleições com outras!

  18. João Duarte diz:

    Ainda para o sr. AC quando escreve isto: “No entanto, e por mais estranho que pareça, votaram agora mais eleitores do que em 2005, cerca de 500. A justificação está no facto de o nº de eleitores ter aumentado em quase 2200, de 2005 para 2009”
    Até pode ser (já que houve mais 2.182 eleitores inscritos) (1), mas a grande diferença foi que os votantes do Soito (677 em 2009) podem-se considerar todos novos em relação a 2005, já que nesse ano foram zero, por causa do boicote eleitoral. É preciso ter memória…
    (1) Afinal a população do concelho cresceu ou não, de 2005 para 2009? Neste particular faço a mesma pergunta que o sr. AC

  19. AC diz:

    Sr. Nuno, será que cada um tem a sua verdade, ou a verdade é só uma? Para que conste, não me parece bem ter vergonha do partido que se representa. Quem não quer colagens, não se encosta.
    Ao Sr. João Duarte os meus parabéns pela análise, porque é realista, sendo por demais evidente que todos os partidos ganharam votos à excepção do PS, que mesmo assim ganhou.
    Mas agora que reavivou memórias e foi mais ao pormenor, poderemos concluir que a votação de 2009 no concelho do Sabugal seria equivalente à de 2005 se o Soito tivesse votado em 2005. Assim, afinal quem são os quase 2200 novos eleitores que apareceram de repente e não votaram?
    É caso para dizer: procuram-se, pois fazem falta ao concelho.

  20. J Nabais diz:

    Estas eleições não se podem nem devem confundir com as autárquicas, mas lá que há muita gente com medo da confusão lá isso Há. Se não fosse assim haveria alguma razão para que as eleições legislativas e autarquicas não fossem no mesmo dia. Depois ainda vem o Presidente da Republica num fait diver despropositado (escutas, emails e outros quejandos) falar em superior interesse do país……
    Concordo com o Nuno e com todos os outros quando referem que as eleições autarquicas a componente pessoal é mais vincada e no Sabugal temos bem esse exemplo. Vejamos o anterior Presidente António Morgado PSD desde sempre que conhece bem o candidato Robalo apoia o Toni não por ser do PS mas por entender que será melhor Presidente e ele conhece bem o Robalo estiveram juntos 8 anos na Camara.

  21. João Duarte diz:

    Para o sr. AC:

    Nunca há duas eleições iguais.
    Como exemplo fica aqui o resultado de Cavaco Silva, nas Presidenciais no concelho de Sabugal, em 2006: CAVACO SILVA 5133 votos 64,75%
    O PS tinha acabado de ganhar as Legislativas há pouco tempo no concelho de Sabugal (em 2005) e foi o que se viu.
    Portanto, Autárquicas são Autárquicas e Legislativas são Legislativas, como bem já aqui referiu o sr. Fernando Lopes.
    Cada eleição , mesmo Legislativa, tem pormenores que escapam às análises simplistas.
    Vejamos: o PS ganhou as eleições em 2005 (em todo o país e até no concelho de Sabugal) contra o PSD de Santana Lopes. No meu entendimento qualquer que fosse o secretário-geral do PS, este partido ganhava as eleições. E refiro mesmo que , se no Soito não houvesse boicote, o PS ganharia também no Soito ( e teria muito mais de 229 votos).
    O PSD ganhou, no entanto, as autárquicas.
    Logo a seguir Cavaco Silva ganhou com mais de 60% as Presidenciais.
    O PSD ganhou as Europeias no concelho de Sabugal e , depois, o PSD perdeu para o PS as Legislativas.
    Cada eleição é uma eleição.
    E nas Legislativas, quer queira quer não, vota-se nas figuras nacionais. Embora o PS tivesse obrigação de ter muitos mais votos nestas Legislativas já que tinha como candidato um natural do concelho de Sabugal. Essa análise também tem que ser feita. Tanto que o BE e o CDS tiveram, agora, no Sabugal uma expressão eleitoral muito acima da sua implantação no terreno (não se conhecem caras destas partidos no concelho, actualmente). Por isso o CDS aposta , agora, em cartazes em que coloca a candidata a Presidente da Câmara ao lado de Paulo Portas, sem qualquer relação com o Sabugal. Interessa é o Portas.
    O facto de o MPT não ter votos nas Legislativas não significa que não os tenha nas autárquicas. Se fosse assim (ter votos nas Legislativas é ter votos nas Autárquicas) nunca a CDU teria mais de 500 votos na votação para a Assembleia Municipal.

  22. joaomartins diz:

    Compreendo a posição do Eng. Morgado!
    É do tipo “afasta de mim esse cálice!”
    É psicológico!É do tipo “Quero esquecer o passado que teima em perseguir-me!
    Entendem-me? Eu entendo-o!

  23. António Torres diz:

    Sou militante do PSD há 24 anos e apoio o Toni para Presidente da Câmara.
    Há momentos na nossa vida que o clubismo partidário deve ser posto de lado, perante a qualidade das pessoas.
    Sou amigo do Toni desde criança. Sempre foi para mim e para os da nossa geração, uma referência.
    Os seus princípios éticos, morais e de respeito pelo próximo, fazem dele um homem digno.
    A seriedade e a dedicação que caracterizam o seu sucesso profissional, são o garante do seu empenho na realização de bons projectos para o nosso Concelho.
    É uma oportunidade para o Concelho do Sabugal, poder ser representado por um filho da terra, tão genuino e de tão elevado carácter.
    Para mim e para muitas outras pessoas do PSD e de outros partidos, a candidatura do Toni deve ser considerada supra partidária. De certeza que vai ter gente de todos os quadrantes politicos a apoiá-lo.
    Pelas suas qualidades, o Toni merece ser o próximo Presidente da Câmara do Concelho do Sabugal.
    Acredito convictamente que vai fazer um excelente trabalho de que todos nos vamos orgulhar.
    O meu apoio é total.
    Um forte abraço

  24. joao valente diz:

    O cargo exige muito mas que carácter, dignidade e honestidade. À partida, até prova em contrário, todos os candidatos são pessoas idóneas, nada havendo que desone em relaçao aos seus carácteres. Por isso são elegíveis. Para o cargo é preciso também uma coisa que nem todos têm: Carisma!

  25. joaolopes diz:

    Todos somos honestos, se somos funcionários públicos e vivemos uma vida de pantufas!
    Custa é não ter a sorte de conseguir um bom emprego público, mesmo com baixas qualificações académicas e termos que lutar dia pela sobrevivência.
    Quantos como eu, da geração Tony, com qualificações como a dele, intelegentes como ele, trabalhadores como ele, tivemos que sair e vir para a capital à procura de vida, deixando de ser referências.
    Ele foi um homem bafejado pela sorte. até já é referencia e exemplo!

  26. AC diz:

    Carisma: capacidade de influenciar os outros; capacidade de inspirar entusiasmo e adesão; magnetismo; qualidade marcante.
    Sendo esta a definição de carisma, qual é o candidato a que melhor assenta? Ao Sr. António Robalo não me parece, é que ao fim de 12 anos na autarquia e de muitos outros na política, nem alguns os seus “companheiros de luta” conseguiu influenciar, entusiasmar, magnetizar, ou melhor, conseguir até conseguiu, mas foi mais no sentido de que a influência de que sobre eles exerceu, os levou a entusiasmarem-se a não o apoiar e até mesmo a aderirem a outras candidaturas, sendo uma espécie de magnetismo repelente, pelo que a sua qualidade marcante só pode ser pela negativa.

Responder a joaomartins Cancelar resposta