Candidatos do Sabugal em debate na Rádio Altitude

António Dionísio (PS-Partido Socialista), António Robalo (PSD-Partido Social-Democrata), Joaquim Ricardo (MPT-Partido da Terra) e José Manuel Monteiro (CDU-Coligação Democrática Unitária) marcaram presença esta sexta-feira, 25 de Setembro, no programa de Rui Isidro na Rádio Altitude. Ana Isabel Charters (CDS-PP) declinou o convite por considerar ser ainda muito cedo para dar início à sua campanha eleitoral. Divergências à parte os quatro candidatos concordaram num ponto: a desertificação é o grande problema do concelho do Sabugal.

Rádio AltitudeO jornalista da Rádio Altitude, Rui Isidro, introduziu o debate recordando que o concelho do Sabugal é o exemplo de maior alternância política no poder em todo o distrito da Guarda. Em 1976, nas primeiras eleições a presidência da Câmara foi conquistada pelo CDS. Em 1979 e durante dois mandatos foi governada pelo PSD para mudar de cor em 1985 novamente para o CDS e também por duas eleições. Em 1993 o PS conquistou a autarquia sabugalense mas, nas eleições seguintes, o PSD reconquistou a presidência. Em 2001 os sociais-democratas em coligação com o CDS mantiveram o poder e nas últimas eleições, 2005, o PSD, com Manuel Rito Alves, voltou a ganhar o município com maioria (quatro em sete) de mandatos .
Abriu o debate o candidato da CDU, José Manuel Monteiro, que após cumprimentar todos os sabugalenses deu a conhecer as linhas mestras do seu programa eleitoral com o lema «tornar possível o impossível». «As propostas da CDU assentam em quatro eixos de desenvolvimento: um concelho economicamente viável, um concelho socialmente coeso e solidário, um concelho culturalmente vivo aliando a tradição à modernidade e um concelho ecologicamente sustentável para as gerações futuras. «Achamos que é necessário fazer roturas, achamos que é necessário mudar», disse, ainda, José Manuel Monteiro.
António Dionísio foi o segundo candidato a entrar na antena da rádio elegendo como bandeira da candidatura o combate à desertificação. O candidato socialista considerou, também, que «o concelho do Sabugal tem que se afirmar no contexto regional com qualificação e inovação».
Joaquim Ricardo começou por agradecer à Rádio Altitude a possibilidade de estar presente num debate com os outros candidatos ao município sabugalense. Elegeu igualmente a desertificação como o grande inimigo a combater durante os próximos quatro anos. «Comigo as pessoas estarão sempre em primeiro lugar. As política autárquicas nos últimos 30 anos esqueceram as pessoas. Os dois grandes pilares da candidatura assentam na gestão da autarquia a pensar nas pessoas e na promoção da sustentabilidade económica e social do nosso território».
António Robalo chegou à Rádio Altitude já com o debate a decorrer e foi o quarto candidato a responder à questão inicial do moderador Rui Isidro. «Eu candidato-me na sequência do trabalho desenvolvido há doze anos durante três mandatos. O maior problema é não termos gente. Tudo temos feito para captar gente e vamos continuar a tudo fazer nesse sentido», explicou o candidato social-democrata.
O debate entre os quatro candidatos continuou com o balanço sobre os últimos quatro anos da gestão social-democrata na Câmara do Sabugal, sobre as apostas para o futuro do concelho do Sabugal e por fim a oportunidade a cada candidato para expor as razões porque consideram que os eleitores sabugalenses devem votar nas suas candidaturas.

Rádio Altitude on-line (90.0 FM). Aqui.

Rádio Altitude – Debate entre os candidatos à Câmara Municipal do Sabugal
jcl

16 Responses to Candidatos do Sabugal em debate na Rádio Altitude

  1. João Duarte diz:

    Ouvi o debate, em directo.

  2. Tó Sousa diz:

    Ouvi o debate, em deferido no Capeia Arraiana!
    Os principais candidatos revelaram não estar à altura do lugar a que se propõem. Só o José Manuel Monteiro (vulgarmente conhecido no Sabugal por Zé Manel Sacristão) está preparado para ser presidente.
    A.Sousa

  3. AC diz:

    Não quero discutir se algum está à altura ou não, mas parece cada vez mais evidente que o concelho do Sabugal não está bem, pelo que só há uma alternativa: MUDAR. A continuidade não é solução, porque para mais do mesmo já basta. Veja-se a vergonha da inaugaração da Zona Rural Prioritária de Localização Empresarial do Alto do Espinhal, primeiro convidaram e hoje, à última da hora, “desconvidaram”. Mesmo que a lei o não tornasse ilegal, seria, no mínimo, moralmente condenável, mas parece que isto pouco importa, porque mesmo sendo ilegal parece que a “festa” lá se fez, porque foi aproveitada a inauguração da Empresa CIRVA – Centro Integrado de Reciclagem e Valorização Ambiental para “tornar legal” o evento.
    Diz na entrevista o Sr. António Robalo que os restantes candidatos não sabem a realidade do concelho e que não se informaram. Eu pergunto: como é que os candidatos, ou seja quem for, podem estar devidamente informados se o próprio Vice-Presidente do Município tem de ler este blog para saber o que se passa dentro da sua autarquia?

  4. julio diz:

    Debate confrangedor. Então o To Robalo dos doze anos que leva de Camara aquilo que se viu foi um deserto de ideias. Propostas nem vê-las. Afinal o que é que este cavalheiro tem para oferecer aos Sabugalenses? Aproveitou-se o candidato da CDU, que este sim parece conhecer os problemas do Sabugal.

  5. joaomoura diz:

    Podia ser melhor! Concluindo: de todos as intervenções destacam-se pela positiva a do eng. Robalo e a do candidato da CDU. O Ricardo pelo empenho merece eleger um vereador. O Toni pareceu-me um deserto de ideias.
    O sabugal merecia mais.

  6. Nuno diz:

    Debate clarmente ganho pelos candidatos do MPT e CDU, notoriamente que os candidatos dos “Grandes Partidos” não se encontram à altura do desafio que o nosso concelho precisa, nao bastam slogans mas sim Trabalho.

  7. Miguel diz:

    Como era esperado este foi um debate pobre, ainda assim a radio altitude está de parabéns por este serviço prestado aos sabugalenses.
    O debate foi ganho pelo Eng. Robalo, não é preciso saber ler nem escrever para perceber isso. Foi alvo de ataques por parte dos restantes candidatos (como é normal), mas defendeu-se bem articulando respostas com pés e cabeça. As propostas também surgiram num discurso fluente sem hesitações. Trazia a lição estudada e merece ser reconhecido por isso. No entanto, a sua presença fica também marcada pelo atraso, a falta de pontualidade numa situação destas é grave e revela muito sobre uma pessoa.
    Em destaque pela positiva esteve também o candidato José Manuel Monteiro, mostrando que conhece os problemas e concelho e uma preocupação constante em resolve-los, não dando tréguas ao candidato do PSD.
    Pela negativa surgiu o candidato do PS, o grande derrotado. As respostas sem conteúdo prático nem teórico revelaram um candidato muito nervoso e sem a força nem ambição necessária numa situação destas. No entanto, o facto do candidato António Dionísio não se mostrar um bom politico, não implica que não seja um bom governante.
    O “zé povinho” muitas vezes esquece isso e fica de olho cheio com um discurso mais determinado, ou então vivem numa “clubite” partidária tão forte que se perdem da realidade. Ontem, foi mais uma vez a prova disso. Avizinham-se tempos complicados… cenários há muitos, mas um colapso politico no próximos 2 anos, parece-me ser o mais provável.

    • joao valente diz:

      Virgílio, que foi o maior génio da humanidade, não conseguia articular uma única palavra em público e foi o que se viu…
      Os homens avaliam-se pelo que fazem; não pelo que dizem.

      • Miguel diz:

        Sr João Valente, das três, uma: ou não leu tudo com a devida atenção, ou leu tudo com atenção e não quis perceber, ou eu não fui claro o suficiente.

        “No entanto, o facto do candidato António Dionísio não se mostrar um bom politico, não implica que não seja um bom governante.”
        Nesta frase, eu pretendia transmitir que embora o senhor (A. Dionísio) não saiba discursar como um bom politico… (porque um bom politico caracteriza-se em muito por isso) poderá vir a ser um bom governante. Que diz por outras palavras aquilo que o senhor disse com essa “frase feita”.

        Já a contar com respostas tão previsíveis com a sua, decidi voltar a vincar este aspecto quando digo: “… O “zé povinho” muitas vezes esquece isso e fica de olho cheio com um discurso mais determinado…”

        Considero-me péssimo a redigir texto, mas Sr João Valente, aqui para nós, mais claro que isto é complicado…. Como tal, exclua a terceira opção que lhe foi dada no inicio desta resposta e escolha uma das restantes.

    • joao valente diz:

      Miguel,
      Li e percebi muito bem.

  8. Maria diz:

    Nãso ouvi o debate e nem me interessou particularmente.

    E isto porque quero é ver os Programas escritos e publicados.

    E até agora, Programas, só os do Antónioo Dionísio, excelente e apresentando propostas concretas, e do Joaquim Ricardo , muito pobre e cheio de generalidades…

    Quanto aos “vencedores”, nada… estarão com medo, não têm ideias ou preferem ficar pelas intervenções públicas? (sempre podem dizer que foram mal interpretados e que não queriam dizer aquilo…).

  9. cunha diz:

    O Sabugal precisa não de um político mas sim de um EXCELENTE político. Um político que ganhe “combate” políticos com os concelhos vizinhos. Um político que ganhe nas negociações políticas com políticos do governo central. Um político inteligente, dinâmico e com muito querer. POR isso deixemo-nos de ilusões e apostemos nos melhores. Só os melhores nos podem condizuir ao sucesso. O eng. Robalo, candidato do PSD, e o Dr. José Monteiro, candidato da CDU, foram sem dúvida os melhores. O Dr. Ricardo tem muito vontade, mas só isso é pouco. O Toni pareceu-me muito fraco político, ou não saber bem o programa, ou não acreditar nele. Vêm dias dificeis é preciso escolher o melhor.

  10. AC diz:

    O que eu acho mesmo é que o concelho precisa de um grande abanão. Já chega de sermos os coitadinhos. Temos os mesmos direitos que os outros e é por isso que temos de lutar. A Câmara do Sr. António Robalo nunca deveria ter iniciado a ligação à A23, mas deveria sim ter “obrigado” o poder central a fazê-la. Aquilo é um buraco sem fundo para o Município. Dúvido que alguém, mesmo na Câmara, tenha noção do que já ali foi gasto, ou pensam que os militares que lá andam pagam eles os combustíveis, as reparações e o desgaste das máquinas, a estadia, etc.?Temos de ter poder reevindicativo, nem que para isso tenhamos de ameçar que queremos a independência (para nos mudarmos para a Espanha, por exemplo) ao jeito do inigualável Alberto João Jardim.
    Quem poderá iniciar esse abanão? O Sr. da CDU disse muita coisa agradável, mas há anos que não mora no Sabugal, nem me parece que conheça a realidade do Sabugal. A certa altura do debate pareceu-me claramente que estava a falar muito bem, mas de outra realidade. A sua virtude está na experiência adquirida enquanto funcionário autárquico, mas é pena que não seja aqui. A Sra. do CDS nem deve saber onde são a maioria das freguesias e por isso nem sequer apareceu, arranjando uma desculpa que julgou airosa. O Sr. Joaquim Ricardo deixa passar a imagem de que se ganhar é ele quem manda, quando o trabalho deve ser feito em equipa. O Sr. António Robalo, apesar de toda a experiência adquirida nos últimos anos, também já demonstrou que “não dá mais”, a não ser continuar o que está iniciado, não trazendo ao debate nada de novo. Resta o Sr. António Dionisio que, por enquanto, não tem ainda o à vontade e traquejo suficiente para explanar o seu excelente programa e as suas ideias. No entanto parece-me o mais promissor, humilde, trabalhador, dedicado e que abraçou esta candidatura com todo o amor que tem pelo Sabugal, convencido de que pode ser desta que o Sabugal vai para a frente.

  11. Manuel Russo diz:

    Neste nosso Concelho de Sabugal o único que pode avancar com tudo que temos de péssimo é= partido independente. O Concelho nao precisa de politicos; vejam o (Bordél) actualmente entre eles, essas sectas que se vao esfolar, matar e tudo mais. Concelho Sabugal Independente à moda Arraiana, nao se esquecam unica forma de avancar todos juntos (CONTRIBUINTES)

  12. zé sabugal diz:

    E aquela do candidato do MPT nem sequer saber quantas freguesias não tinham água??? Devia ter-se preparado melhor….
    E o do PSD ? Há 12 anos na Câmara e sem soluções para o Concelho!!
    O PS tem um programa ambicioso. Sem ambição, que é o homem? Sim, é preciso ambição. Só assim damos a volta a um concelho desmotivado.

  13. J Nabais diz:

    Sr. A C, essa é que essa o António Robalo “não dá mais” e o que deu foi zero e mais do mesmo é o deserto . . . . . . .

Responder a joaomoura Cancelar resposta