A lenda de Aldeia Velha

Narrativa histórica cheia de misticismo sobre a origem da festa de Nossa Senhora dos Prazeres de Aldeia Velha.

Capela de Nossa Senhora dos Prazeres (Aldeia Velha)D. Pedro I, eterno apaixonado de D. Inês de Castro, sofreu o embuste que vitimou a sua amada de um modo muito violento. Ao saber que Inês de Castro tinha sido assassinada, mandou perseguir os seus carrascos. Um deles tinha fugido para a Beira Alta, e refugiou-se numa pequena povoação situada no cimo de uma serra, de seu nome «Sabugal Velho».
Os guardas de el-rei, no trilho do dito carrasco, souberam que ele estaria por aqueles lados, e seguiram no seu encalço, chegando à pequena povoação do «Sabugal Velho», arrasaram-na por completo, na esperança de encontrar o prevaricador. No entanto, não havia nem sinal do carrasco de dona Inês… Possivelmente já se encontraria a caminho de Espanha…
Entretanto, os habitantes do «Sabugal Velho», desceram a serra e resolveram ocupar o vale, levando os restos da povoação do «Sabugal Velho», elevando uma nova povoação com as pedras velhas que sustinham as suas casas no «Sabugal Velho», e tornando o nome da sua povoação «Aldeia Velha», devido às circunstâncias da sua origem.
Por altura da égide de «Aldeia Velha», alguns habitantes voltaram ao «Sabugal Velho», para recuperar os seus pertences, e repararam que a imagem de Nossa Senhora dos Prazeres tinha ficado intacta, no cruzeiro, entre os escombros da povoação destruída. Resolveram trazê-la para a aldeia, mas, no dia seguinte, tinha desaparecido. Voltaram à serra, e voltaram a encontrá-la no cruzeiro. Esse fenómeno aconteceu por diversas vezes, até que os habitantes de «Aldeia Velha» perceberam que o lugar da santa era na serra. Assim, resolveram erigir uma capela em sua honra, onde ela ficaria. Não podia ser no cruzeiro, pois assim não seria visível para toda a aldeia, por isso resolveram erigi-la no cimo da serra.
Depois da égide da Capela, conta-se que, em alturas de seca, os habitantes da aldeia iam à serra e traziam a santa para a igreja, voltando a levá-la para a serra em procissão, rezando, pedindo com toda a sua fé a Nossa Senhora dos Prazeres que pusesse um fim àquele suplício. E conta-se que, poucos dias depois, chovia em Aldeia Velha…
Assim foi, e hoje em dia Nossa Senhora dos Prazeres ocupa o seu lugar de vigília de Aldeia Velha, protegendo os seus habitantes e devotos crentes. Pela altura da Páscoa, realiza-se uma festa e uma procissão em honra da padroeira de Aldeia Velha, vivendo-se a fé e o amor por aquela santa e por aquela capelinha branquinha, no meio da vegetação verdejante, que reúnem todos os filhos da terra.
Fátima Casanova

One Response to A lenda de Aldeia Velha

  1. Antonio sanches vicente diz:

    História maravilhosa! Amém 🙏🙏🙏

Deixar uma resposta